Selfies poderão desbloquear a tela do iPhone, revela patente

Por Redação | 06 de Abril de 2015 às 15h41

Se depender da Apple, em um futuro próximo, uma selfie vai substituir senhas e impressões digitais na hora de desbloquear o iPhone para uso. Em uma nova patente oficializada pelo órgão competente nos Estados Unidos, a empresa detalha um sistema de reconhecimento facial que pode chegar em breve a seus smartphones.

O sistema, que parece simples, envolve uma configuração prévia por parte do dono do dispositivo. Uma vez que todo esse processo é realizado, basta se posicionar à frente do aparelho, em posição normal de uso, para que a câmera frontal seja ativada, registrando uma imagem da pessoa que segura o celular. A foto é comparada com o banco de dados do próprio aparelho e, em caso de combinação positiva, o uso do iPhone é liberado.

A ideia, segundo a Apple, é facilitar um processo corriqueiro para a esmagadora maioria dos donos de celular. A ação, hoje, já é bastante simples, bastando deslizar o dedo na tela e inserir uma senha ou impressão digital. Com a identificação por selfies, porém, a Maçã deseja cortar o procedimento pela metade, tornando a utilização mais intuitiva e simples.

Medidas de segurança já conhecidas também devem entrar em ação aqui. Como acontece com o TouchID, por exemplo, todo o processo de reconhecimento e identificação deve acontecer totalmente offline, sem que imagens do rosto do usuário ou do local em que ele está sejam armazenadas ou transmitidas por meio da internet.

Ficam dúvidas, porém, com relação à vida útil da bateria, uma vez que sensores relacionados à própria câmera teriam que estar ativos durante todo o tempo para identificar quando o dono do celular está na tal “posição de uso”. Além disso, claro, o sistema de reconhecimento facial não deve funcionar em condições de baixa luminosidade, e restam questionamentos sobre métodos simples de circundar o sistema, como colocar uma foto do dono original em frente ao celular, por exemplo.

São questões que acabam não sendo respondidas na patente registrada pela Apple. A empresa, também, não se pronunciou sobre o assunto, mas é reconhecida por buscar formas cada vez mais intuitivas para que seus usuários tenham acesso aos próprios dados e funções de seus aparelhos. Podemos estar, aqui, diante de mais uma.

Vale a pena lembrar que sistemas de reconhecimento facial, mesmo que básicos, já estão disponíveis em celulares com Android, apesar de o Google alertar que esse método é menos seguro que o uso de uma senha. Além disso, a gigante chinesa Alibaba já anunciou estar trabalhando em um sistema de pagamentos que usa raios infravermelhos e a câmera digital para identificar o usuário, aprovando assim as transações.

Porém, é sempre importante ter em mente que, apesar de esta ser uma tecnologia que parece estar cada vez mais em voga, o registro de uma patente não necessariamente significa uma ideia que se tornará realidade. Muitas vezes, empresas realizam cadastros do tipo para garantir que uma inovação não seja roubada ou copiada por terceiros, além de obterem ganhos com o pagamento de royalties a partir de tais ideias. O ideal, aqui, é esperar para ver o que a Apple vai fazer no campo do reconhecimento facial.

Fonte: Re/code

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.