Segundo IDC, brasileiro gasta mais na hora de comprar smartphone

Por Redação | 16.05.2016 às 20:34

Atual situação econômica do país não parece ser obstáculo na hora da compra de novos smartphones, como indica um novo levantamento da IDC Brasil. O gasto médio dos brasileiros com smartphones cresceu 27% entre 2014 e 2015, subindo de R$ 750 para R$ 880.

O analista da IDC Brasil, Diego Silva, mostra que as razões para esse maior investimento em smartphones superam a alta do dólar e incluem também o fato de o mercado local estar mais maduro: “Com a explosão do dólar ficou realmente inviável trabalhar com preços menores, mas estamos tendo sim uma mudança de comportamento no consumo, muito por conta do aumento da base instalada de celulares do país”, destaca o especialista.

Detalhadamente, as proporções referentes à compra dos dispositivos móveis foram:

  • Dispositivos móveis com preços de até R$ 700 deixaram de ser maioria e tiveram queda de 59% (2014) para 44% (2015);
  • Os celulares inteligentes mais caros cresceram neste mesmo período, com valores entre R$ 700 e R$ 1.300 reais, e subiram de 31% para 44%;
  • Os aparelhos acima deste preço registraram alta de 10% para 12% em sua participação no ano passado;
  • Os chamados smartphones premium, com preços acima de R$ 3 mil, equivalem a 3% das vendas no ano de 2015, sendo que no ano anterior era 1%.

No ano passado, 65% dos usuários brasileiros já tinham comprado o seu primeiro smartphone e, por isso, acredita-se que eram potenciais consumidores do segundo smartphone: "Esse consumidor começa a perceber e dar valor a algumas funções técnicas que influenciam no preço do aparelho. Dificilmente você vai comprar o segundo aparelho inferior tecnicamente ao primeiro. Por isso, os segundos acabam sendo mais caros e o cliente acaba pagando um pouco mais e vê valor nisso”, explica Silva.

Útil?

Para a IDC, o consumidor não investe neste aparelho apenas buscando utilidade: “Para o brasileiro, também é um simbolo de status. E as facilidades de pagamento, como parcelamento em diversas vezes, contam bastante”.

Venda por unidades

O aumento foi identificado no valor gasto, não na venda por unidades. Essa, por sua vez, vem caindo no Brasil. Em 2014 foram vendidos 54,5 milhões de smartphones e em 2015 47,2 milhões. Para 2016, a recente previsão da IDC mostra que esse número vai ficar na casa das 42,9 milhões de unidades, voltando a registrar crescimento no último trimestre deste ano. Uma ascensão ainda mais marcante no mercado, segundo a consultoria, ficará para 2017.

Fonte Computerworld