Samsung e governo dos EUA trabalham para fazer recall oficial do Galaxy Note7

Por Redação | 09 de Setembro de 2016 às 19h58

A Consumer Product Safety Commission (CPSC) dos Estados Unidos, agência independente que zela pela segurança dos produtos vendidos ao consumidor, disse nesta sexta-feira (9) que está trabalhando com a Samsung para anunciar um recall formal do Galaxy Note7.

"A CPSC e a Samsung estão trabalhando juntas para anunciar formalmente um recall oficial dos dispositivos o mais rápido possível", afirmou a agência em nota. "A CPSC está trabalhando rápido para determinar se a troca do Galaxy Note7 é uma solução aceitável para a Samsung ou para as operadoras darem aos consumidores".

O phablet estaria ligado a vários casos de incêndios, supostamente por causa de um problema de isolamento nas células da bateria. Nesta semana, um carro foi totalmente destruído por chamas supostamente causadas pelo aparelho defeituoso, segundo o relato de um cidadão de São Petersburgo, Flórida.

Enquanto o recall formal não é anunciado, tanto a CPSC como a Samsung estão pedindo aos compradores do Note7 para pararem de usar ou recarregar o aparelho. A companhia sul-coreana já anunciou um recall próprio, em que vai oferecer a troca do produto.

"A Samsung garante que a segurança do consumidor continua sendo prioridade máxima. Estamos pedindo para os usuários desligarem os Galaxy Note7 e trocá-los agora", afirmou Tim Baxter, presidente da Samsung para os Estados Unidos. "Novos Note7 para substituição estão sendo disponibilizados para os participantes do programa de troca depois que o processo da CPSC estiver completo. Nesse meio tempo, os consumidores podem retornar seus Note7 e trocá-los por outro produto".

Já as operadoras estão oferecendo aos consumidores a opção de devolver o dispositivo e receber um reembolso ou trocá-lo por um aparelho de outra marca. A Samsung está dando US$ 25 para quem ficar com o Note7 ou algum outro smartphone da companhia.

Enquanto tudo não se resolve, outras agências norte-americanas fazem o possível para garantir a segurança. A Federal Aviation Administration, autoridade nacional de aviação nos Estados Unidos, está dando alertas para que passageiros não usem ou carreguem o aparelho dentro dos aviões. A agência havia proibido o transporte do dispositivo, mas essa resolução foi revogada.

Fonte: Recode

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.