Review Philco Hit Max | Um basicão perfeito para a sua avó

Review Philco Hit Max | Um basicão perfeito para a sua avó

Por Rudy Caro | Editado por Léo Müller | 12 de Julho de 2021 às 12h00
Ivo/Canaltech

O Philco Hit Max é um smartphone básico e de baixo custo que mira em consumidores com necessidades mais simples, tais como o uso de redes sociais, WhatsApp e ainda um pouco entretenimento — seja em vídeos, filmes ou suas músicas favoritas.

A Philco tem a difícil missão de competir de igual para igual com fabricantes consagradas no Brasil — como a Samsung, Motorola e Xiaomi —, que possuem produtos com excelente custo-benefício e se apoiam no peso de suas marcas para conquistar o consumidor.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Prós:

  • Bom custo-benefício;
  • Tela grande de 6 polegadas na tecnologia IPS LCD;
  • Bateria generosa de 4.000 mAh;
  • Case de proteção anti-impacto inclusa na caixa;

Contras:

  • Processador fraco demais para a categoria;
  • Câmeras básicas e com resultados decepcionantes;
  • HDR problemático em fotos e vídeos;
  • Chiado constante no alto-falante em volume máximo;

Confira o preço atual do Philco Hit Max

Design e construção

O Philco Hit Max é feito totalmente em plástico, em formato clássico com tampa traseira e bordas feitas do mesmo material. O acabamento fosco tenta imitar aço escovado — algo que anda meio fora de moda ultimamente — e ainda é cheio de pontinhos brilhantes, sendo quase uma segunda camada de “glitter” para finalizar o design.

Trata-se do típico aparelho com bordas arredondadas, sensor de impressões digitais em formato circular cravado na traseira do aparelho e com bom posicionamento para os dedos. Temos ainda um conjunto duplo de câmeras, flash dual tone e um logo discreto da Philco fechando o pacote.

  • Dimensões: 144 x 75 x 10mm
  • Peso: 200g

O Philco Hit Max tem um acerto bem-vindo e um erro bobo na minha opinião: ele traz uma conexão P2 (3,5 mm) para fones de ouvido, e uma triste entrada micro USB para carregamento e transferência de dados. Em pleno 2021, dá para considerar essa questão algo um tanto retrógrado da parte da Philco, uma vez que o padrão USB-C é tão prático e poderoso e está presente até em smartphones básicos da maioria das concorrentes.

Um ponto positivo sobre o Philco Hit Max é a sua boa distribuição de peso em relação ao corpo do dispositivo, que mesmo pesando 200 gramas, não passa a sensação de ser um celular pesado e cansativo nas mãos, garantindo uma boa experiência de uso ao longo do dia.

As bordas arredondadas dão um conforto extra nas mãos, e a capa de proteção (já inclusa na caixa do produto) deve ajudar o Philco Hit Max a sobreviver a quedas inesperadas.

"O Philco Hit Max conta com um conjunto modesto e interessante de recursos que o posicionam bem entre os smartphones de entrada, com desempenho satisfatório nas tarefas mais básicas e boa qualidade de tela para consumir filmes, séries e jogos."

Tela

O Philco Hit Max possui uma boa tela IPS LCD com 6 polegadas, resolução HD (720x1440p) e 280 ppi de densidade, sem contar com nenhum sensor biométrico embutido no display.

Como estamos falando de um smartphone básico, você meio que já espera aqueles displays TFTs antiquados e com cores lavadas ao extremo, mas, para a nossa surpresa, não é o que temos aqui. O Philco Hit Max consegue reproduzir imagens e vídeos com boa qualidade de cores, contraste e nitidez dentro das limitações claras de um display com resolução limitada à HD.

Em ambientes fechados, não há problemas dessa natureza, mas não espere recursos legais de smartphones mais caros ou até mesmo de smartphones na mesma faixa de preço feitos por empresas mais renomadas. Pode esquecer taxa de atualização acima de 60hz ou alguma forma de HDR, por exemplo. É um display simples e direto ao ponto, para uso básico, e que cumprirá bem o seu papel.

Configuração e desempenho

O Philco Hit Max é um smartphone de entrada. Ele não é destinado aos usuários mais exigentes que buscam jogar os títulos mais badalados da Play Store, tampouco para aqueles que desejam utilizar apps pesados de edição de fotos e vídeos. Manter vários apps de produtividade abertos ao mesmo tempo? Nem pensar.

O smartphone é equipado com o desconhecido chipset Unisoc SC9863A, com oito núcleos Cortex A55, divididos em dois grupos de 4 núcleos a 1.2Ghz e 1.6Ghz, respectivamente.

Na parte gráfica, a GPU PowerVR GE 8322 também é bem básica, permitindo ao usuário jogar títulos leves e moderados da Play Store sem muito detalhamento gráfico. Por outro lado, o aparelho conseguiu manter um bom desempenho em títulos sem recursos 3D muito avançados, como Brawl Stars ou Free Fire, durante meus testes.

O desempenho em tarefas básicas — como apps de redes sociais, email, edição leve de fotos e criação de documentos de textos — é bom no dispositivo, e os 4 GB de RAM parecem dar conta do recado, se você não sobrecarregar o Android com tarefas pesadas em segundo plano.

Falando no nosso amado robozinho verde, estamos na versão do Android 10 aqui no Philco Hit Max. A interface desenvolvida pela própria Philco até tenta se manter fiel ao design original do Android “puro”, mas traz alguns detalhes interessantes para facilitar o uso de pessoas com dificuldade de acesso à tecnologia.

Portanto, os ícones do sistema são bem grandes, quadradões, espaçados e padronizados para facilitar o uso. É perfeito para você que pensa em presentear seus pais ou avós com um smartphone barato e que facilite a vida deles.

Além da interface de usuário antiquada e sem recursos mais recentes do Robô, não há garantias por parte da Philco sobre atualizações de segurança ou sobre a disponibilização de novas versões do Android para esse modelo.. Caso esse aspecto seja importante para você, é melhor buscar smartphones da Samsung, Motorola ou Xiaomi. por exemplo.

"O Philco Hit Max traz consigo uma interface de usuário agradável e simplificada, que pode ser ideal para pessoas com menos experiência em tecnologia, e que buscam um produto amigável e que facilite as suas vidas."

Câmera

O Philco Hit Max conta com um conjunto duplo de câmeras de 12 MP A principal tem uma lente grande angular com abertura de f/2.0, gravação de vídeos em resolução máxima de 1080p a 30 quadros por segundo. A segunda câmera funciona apenas como um sensor de profundidade para que o usuário possa fotografar em modo retrato, com a possibilidade de aplicar desfoque de fundo em enquadramentos com pessoas, animais e objetos.

Câmera principal

Na galeria abaixo, você pode ver as fotos feitas pelo sensor principal, que, sinceramente, é bem inferior aos concorrentes vendidos a preços similares. As fotos feitas com o Philco Hit Max apresenta baixa nitidez, exposição à luz bastante exagerada, cores lavadas e HDR que mais atrapalha do que ajuda. Os resultados são bem inexpressivos e frustrantes até em excelentes condições de luz, como nos exemplos a seguir.

Câmera secundaria

Os resultados abaixo mostram uma execução bem falha do efeito de desfoque de fundo feito pela câmera secundária. O aparelho tem problemas claros na hora de contornar objetos ou pessoas até em condições perfeitas de luz, e qualquer cabelo cacheado pode confundir o software da câmera, causando recortes imprecisos e “áreas mortas” de desfoque artificial.

Câmera frontal

A câmera para selfies do Philco Hit Max possui 8 MP e abertura f/2.0, sendo capaz de gravar vídeos em até 720p a 30 quadros por segundo.

Os resultados abaixo mostram que a Philco precisa de muitos ajustes em seu software de câmera para entregar uma experiência no mínimo razoável para os seus consumidores. As selfies ficam escuras ou estouradas pela luz do sol, e não temos HDR em cenas contraluz. A nitidez é baixa, as cores ficam bem lavadas e irreais, os tons de pele ficam mal representados, e a qualidade em vídeos é bem parecida com aquela sua boa e velha câmera integrada de um notebook antigo.

No geral, o desempenho é muito abaixo do esperado até para registros simples e stories para redes sociais, o que pode afastar quem quiser se dedicar ao maravilhoso mundo dos influenciadores digitais iniciantes.

Sistema de som

O Philco Hit Max não brilha muito no quesito áudio, apesar de contar com uma bem-vinda entrada P2 para fones de ouvido. Na parte inferior do aparelho, há uma única saída de áudio no padrão mono, que nos nossos testes, se saiu razoavelmente bem em volumes médios ao reproduzir músicas e vídeos.

Contudo, existe um chiado perceptível e distorção considerável no volume máximo alcançado pelo aparelho, algo decepcionante para quem gosta de ouvir suas músicas favoritas no celular sem usar fones de ouvido.

Usando a entrada P2 ou fones conectados por Bluetooth, o áudio é bom, mas não se destaca por volume alto ou por ter codecs avançados. Em suma, a experiência de consumir conteúdo audiovisual é bem medíocre para um smartphone na sua faixa de preço.

Bateria e carregamento

Contando com uma combinação clássica de bateria grande de 4.000 mAh, processador sem muito poder de fogo e ausência de carregamento rápido, o Philco Hit Max quase zera esse “bingo sádico” dos smartphones baratos. Demora muito para ir de 0 à 100% de carga na tomada, mas nem tanto assim para descarregar por completo. Em outras palavras, o usuário vai gastar bastante tempo para recarregar o seu smartphone após um dia de uso leve do aparelho.

A autonomia de bateria durante o dia vai depender muito dos seus padrões de uso. A carga do aparelho acaba sendo bebida de canudinho pelo sedento processador da Unisoc se você jogar bastante, mas dura o dia todo se você usar apps básicos, ler emails e usar um GPS aqui e ali

Nessas condições mais simples, o Philco Hit Max brilha, devido aos eficientes núcleos Cortex A55, que poupam muita bateria enquanto o celular realiza tarefas básicas. Nos meus testes, levei cerca de duas horas para recarregar o smartphone por completo usando o carregador simples e lento que é fornecido pela Philco na caixa. Como não há recarga rápida, nem adianta comprar um carregador mais poderoso. Aí jeito é ter bastante paciência e não depositar expectativas demais em um produto de entrada.

Concorrentes diretos

Pela proposta simplória e pela sua faixa de preço, o Philco Hit Max concorre com smartphones de entrada campeões de venda no varejo, como o Galaxy A11, Moto G10, Positivo Q20, LG K61 e TecToy On. Eles podem ser encontrados facilmente no mercado e oferecem recursos semelhantes aos do Philco Hit Max, como, por exemplo, telas grandes para o consumo de mídia, baterias generosas e câmeras com alguns truques na manga para quem busca sair do básico.

Conclusão

Pela proposta simplória e pela sua faixa de preço, o Philco Hit Max concorre com smartphones de entrada campeões de venda no varejo, como o Galaxy A11, Moto G10, Positivo Q20, LG K61 e TecToy On. Eles podem ser encontrados facilmente no mercado e oferecem recursos semelhantes aos do Philco Hit Max, como, por exemplo, telas grandes para o consumo de mídia, baterias generosas e câmeras com alguns truques na manga para quem busca sair do básico.

O Philco Hit Max é um smartphone básico que não finge ser arrojado ou poderoso, e suas limitações claras — como as câmeras bem ineficientes e seu chipset sem muito poder de fogo — o colocam bem no limiar entre os celulares baratos que valem a pena e os que são baratos só por serem ruins demais.

Se você procura um aparelho básico, fácil de usar e que não custe muito caro, o Philco Hit Max é uma boa opção, mas não dá para saber se ele se manterá rápido e atualizado por muito tempo.

Gostou do Philco Hit Max? Deixaremos o link abaixo para que você possa adquirir o seu em uma loja confiável e com as melhores ofertas disponíveis do mercado.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.