Preço dos próximos smartphones topo de linha deve continuar subindo

Por Patrícia Gnipper | 06 de Agosto de 2018 às 18h47

De acordo com analistas do mercado, o preço dos próximos flagships deve continuar subindo. Entre os muitos fatores que justificam esse cenário, está o sucesso do iPhone X — mesmo custando "o olho da cara", o aparelho se destacou no mercado no último ano.

O X foi o primeiro iPhone a custar tanto dinheiro (US$ 999 nos EUA), sendo lançado em setembro do ano passado. Muitos acharam que a Apple estaria dando um "tiro no pé" ao apostar em um flagship tão caro, mas, mês a mês, o aparelho foi se mostrando um verdadeiro sucesso. Muito disso se dá graças à chegada do FaceID, o sistema de reconhecimento facial da Maçã, que substitui a leitura de impressões digitais do usuário. Em julho, Tim Cook, CEO da Apple, declarou que o iPhone X superou todos os outros dispositivos da marca em cada semana desde seu lançamento.

Com isso, a Apple mostrou que os consumidores estão dispostos a pagar caro por um aparelho que traga inovações atraentes e, caso o suposto iPhone X Plus seja mesmo lançado em 2018, é possível que a geração dos smartphones custando mais de mil dólares esteja mesmo batendo à nossa porta.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Com isso, a concorrência entra na onda dos altos preços, com Samsung, Huawei e OnePlus lançando flagships cada vez mais caros. Além de usar preços da concorrência como base, o alto custo de componentes cada vez mais modernos e poderosos também impacta no preço final dos dispositivos. Câmeras duplas e triplas com sensores sofisticados, câmeras frontais com sensores 3D para reconhecimento facial, acabamento em cerâmica e alumínio aeroespacial, e chips de inteligência artificial complementam o quadro.

Mas não se pode desconsiderar o fator "status" na hora de pensar nos porquês de um smartphone topo de linha custar tanto. Para Carolina MIlanesi, analista da Creative Strategies, o custo dos componentes e materiais "certamente está crescendo, mas acho que existe uma margem premium aplicada pelas marcas aos seus principais produtos, porque eles se tornam símbolo de status".

Ben Wood, da CCS Insight, concorda, e faz uma previsão: o analista de pesquisa acredita que o próximo carro-chefe da Apple, de 2018, custará a partir de US$ 1.200. E, ainda assim, muita gente vai comprar a novidade, contando com as facilidades de pagamentos parcelados para adquirir o aparelho mais cobiçado (e provavelmente controverso) do momento.

Fonte: 9to5Mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.