Por que fabricar smartphones próprios não faria muito sentido para o Google

Por Redação | 28 de Junho de 2016 às 22h58
photo_camera ARS Technica

Apesar do respeitado The Telegraph ter informado no último domingo (26) que o Google estaria iniciando a fabricação de smartphones próprios (e que o primeiro modelo já seria lançado ainda neste ano), o gigante não chegou a confirmar (nem a negar) a informação, e uma reflexão do site ARS Technica nos faz pensar sobre os motivos pelos quais não faria muito sentido para o Google se tornar um fabricante de dispositivos móveis.

De acordo com o jornal, o Google estaria “cansado” do domínio do iPhone no segmento de dispositivos móveis topo de linha e aparentemente um smartphone inteiramente construído pela companhia poderia bater de frente de um jeito que a linha Nexus não seria capaz, e o jornal disse ainda que a nova linha de smartphones seria produzida e comercializada juntamente com a Nexus.

No entanto, se os rumores estiverem todos corretos, já existe uma boa quantidade de dispositivos Nexus previstos para chegar ao mercado em breve, como, por exemplo, os apelidados de “Marlin” e “Sailfish”. E mesmo com todo o poder e recursos que a gigante dispõe, não seria assim tão simples adicionar uma nova linha de produtos para ser elaborada, desenvolvida e lançada em um prazo de apenas seis meses.

Além disso, a linha Nexus, apesar de não ser topo de linha, já contempla muito do que o Google implementaria em um smartphone para concorrer diretamente com a Maçã. Por exemplo, os aparelhos Nexus possuem um controle total do sistema Android que, em modelos de outras fabricantes, pode ser modificado e personalizado, e a linha Nexus oferece ainda recursos exclusivos, saindo na frente dos concorrentes com o mesmo sistema operacional. Tudo isso também seria utilizado em um smartphone próprio do Google, que talvez só fosse construído com um hardware mais potente aliado a um design sofisticado.

Não seria então mais “jogo” melhorar as especificações técnicas e mudar o conceito do design da linha Nexus, que já existe? De acordo com os argumentos do ARS Technica, a única razão concreta para que o Google se tornasse um fabricante de smartphones seria ter controle total sobre a confecção das peças de hardware e sobre a elaboração do design, que, com a linha Nexus, são feitos por outras companhias.

Bom, pode ser mesmo que a gigante tenha decidido dominar mais um mercado (o de fabricantes de smartphones) e esteja preparando esse passo ousado e ambicioso. Mas, ao menos por enquanto, seria mais sensato pensar que o Google siga apostando na popularidade do Android (que está presente em 4 a cada 5 smartphones vendidos atualmente) e não se torne competidor direto das fabricantes de hardware que hoje são suas parceiras na confecção de seus smartphones Nexus.

Fonte: ARS Technica