Pesquisa nos EUA mostra que usuário fica com mesmo smartphone entre 3 a 5 anos

Por Wagner Wakka | 23 de Agosto de 2019 às 11h05

Imagine a cena: você acabou de comprar aquele smartphone bonito, da nova geração. Pouco tempo depois, ele cai no chão e se quebra todo; ou mesmo você pode perdê-lo ou ter o mesmo furtado. Pois é, às vezes, é difícil pensar em um longo ciclo de vida para um aparelho destes.

Contudo, a Ting Mobile, operadora de telefonia móvel dos Estados Unidos, realizou uma pesquisa com seus clientes para entender qual o comportamento de compra de seus usuários. A pergunta base da pesquisa foi: com que frequência e por que você troca seu smartphone?

O resultado: 47% dos entrevistados afirmaram que conseguiram manter seu último celular pelo período de 3 a 5 anos. Os dados contradizem uma das mais conhecidas estimativas do setor.

Frequência de atualização dos smartphones (Dados e arte: Ting Mobile)

A indústria crava que o principal ciclo de compras de um aparelho é de dois anos. Ou seja, a cada biênio é que seus usuários estariam dispostos a atualizar seu dispositivo. A pesquisa da Ting, entretanto, aponta que apenas 30% das pessoas estão inseridas neste quadro.

Os mais velhos, principalmente, não querem trocar de smartphone tão cedo. Das pessoas entre 55 e 64 anos, 50% disseram que mantêm seu aparelho por três a cinco anos. Por outro lado, 40% dos jovens (18 a 24 anos) preferem trocar o aparelho anualmente.

Mais velho ficam mais tempo com seus aparelhos (Dados e arte: Ting Mobile)

E o que faz alguém comprar um dispositivo novo? Para 32%, é quando o smartphone passa a não funcionar tão bem quanto antes. Outros motivos são, aparelho quebrado, danificado ou perdido (23% das respostas); aparelho antigo (18%); e apenas 10% disseram se interessar pelo aparelho mais atualizado do mercado.

Principais motivos para se atualizar um aparelho (Dados e arte: Ting Mobile)

A pesquisa também fez um recorte por gênero e idade, sobre quais os principais argumentos de compra de um novo aparelho. O ponto em comum entre homens e mulheres, no geral, é que o preço é o que mais conta. O sexo masculino ainda se preocupa mais com especificações e armazenamento interno, enquanto o feminino olha sistema operacional e câmera.

Por fim, ainda em relação ao preço, 42% dos entrevistados disseram gastar entre US$ 150 (perto de R$ 610) e US$ 399 ( aprox. R$1.600) em seu dispositivo. Somente 3% compram aparelhos acima de US$ 1.000 (na marca de R$ 4.000).

Maioria gasta somente entre US$ 150 e US$ 399 em um novo smartphone (Dados e arte: Ting Mobile)

A pesquisa completa está disponível no site da Ting. A empresa disse ter entrevistado 3.640 pessoas em julho deste ano, somente nos Estados Unidos.

Fonte: Ting Mobile

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.