Siga o @canaltech no instagram

Panasonic cria modelo de bateria flexível para smartphones dobráveis

Por Redação | 30 de Setembro de 2016 às 20h18
Tudo sobre

Panasonic

Saiba tudo sobre Panasonic

Ver mais

Dizem por aí que um dia vamos parar de usar os smartphones da forma que os conhecemos hoje. A nova onda da tecnologia, se cumprirem-se as promessas, será a era dos celulares dobráveis, ou, ao menos, flexíveis. E é em direção a essa tendência que algumas das principais fabricantes de dispositivos caminha atualmente — a exemplo da Panasonic, que já colocou em prática seu projeto de fazer baterias dobráveis, para que, um dia, possam equipar os smartphones do futuro.

A companhia pode estar longe de ser uma marca extremamente desejada no mercado dos telefones móveis, mas conseguiu a proeza de criar a tal bateria, a qual vamos chamar apenas de "modelo", com apenas 0,55 milímetros de espessura e capacidade de se envergar em até 25 graus. Não é, ainda, a bateria dobrável que todos esperavam, mas ainda assim faz bonito ao conseguir entortar-se tanto no seu eixo mais longo.

Aliás, além de conseguir se curvar assim, o modelo de bateria mantém todas as suas características funcionais mesmo enquanto flexionada, e consegue receber carga da tomada e enviar energia para os componentes do potencial dispositivo normalmente, como se estivesse em seu formato natural.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O problema até o momento é apenas a capacidade de armazenamento de carga: a Panasonic só desenvolveu protótipos que seguram de 17,5 mAh a 60 mAh, ou seja... quantidades ínfimas comparadas às baterias de 3.000 mAh ou mais. Mesmo assim, a notícia é boa e animadora, e a empresa pretende continuar pesquisando para desenvolver o componente dobrável com armazenamento ideal.

Vale lembrar que a Panasonic não é a primeira e nem a única companhia a investir no ramo das baterias dobráveis e/ou flexíveis: a Samsung também já andou investindo nos componentes, que devem chegar ao mercado em sua primeiríssima versão em meados de 2017.

Fonte: DigitalTrends

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.