Pai envia pedido para que Apple desbloqueie o iPhone de seu filho morto

Por Redação | 02 de Abril de 2016 às 14h00

O monopólio da Apple sobre os conteúdos de seus usuários tem causado grandes polêmicas. Primeiro, o episódio em que bateu de frente com o FBI e garantiu que não iria desbloquear o iPhone do terrorista de San Bernardino, e agora o pedido de um pai que deseja desbloquear o smartphone do filho já falecido.

Segurança iOS

“Não me negue as memórias do meu filho”, escreveu este pai. Leonardo Fabbretti, italiano, perdeu seu filho adotivo Dama para um câncer em setembro de 2015. A mensagem foi enviada para Tim Cook, atual CEO da Apple, por e-mail.

O menino de apenas 13 anos utilizou seu celular em seus últimos meses de vida, e deixou isso tudo registrado, como importantes momentos em família. "Eu tinha dado ao meu filho um iPhone 6 quase nove meses antes de sua morte, e ele o usou o tempo todo. Ele queria que eu tivesse acesso, acrescentou a minha digital no desbloqueio", conta Fabbretti. Mas, como o iPhone pede a senha numérica novamente ao ser reiniciado, o pai, infelizmente, não conseguiu o acesso aos dados do aparelho.

Na mensagem enviada dia 21 de março – e que ainda não foi respondida – o pai mostra que vai tentar ter as últimas lembranças do filho de qualquer jeito: “Eu não posso desistir. Perdi meu Dama, vou lutar para ter os dois últimos meses de fotos, pensamentos e palavras”.

Se a história continuar assim, sem retorno, Fabbretti não vai se conformar. Ele garantiu já ter entrado em contato com a empresa forense móvel que supostamente auxiliou o FBI a quebrar o iPhone do caso de San Bernardio, a Cellebrite. De acordo com as informações, a companhia se ofereceu para desbloquear o aparelho de Dama gratuitamente.

Via Olhar Digital