Opinião: Sony Xperia Z5 Premium no Brasil por R$ 4.700. Vai encarar?

Por Pedro Cipoli | 22 de Abril de 2016 às 21h30
photo_camera Sony

Poucas lojas oferecem o Xperia Z5 Premium da Sony atualmente. Dá para entender o motivo, já que o risco de um aparelho tão caro ficar encostado nas prateleiras é considerável, já que poucas pessoas têm condições de encarar o valor de R$ 4.700 para um smartphone. Entendemos que as condições econômicas atuais realmente não colaboram, mas, ainda assim, a conta não fecha.

Agora ele está disponível para compra em uma boa quantidade de lojas, o que levanta um questionamento sobre o seu (altíssimo) valor. Quem está disposto a investir (porque é, de fato, um investimento), o que deve ser levado em consideração? Quem está disposto a gastar tanto em um smartphone deve considerar quais pontos? Vamos te ajudar a decidir.

Chegou atrasado

Um dos grandes problemas em trazer um smartphone tão caro para o Brasil é o timing. Quem está disposto a gastar um valor exorbitante em um smartphone espera, no mínimo, que ele chegue o mais rápido possível, e não é isso que aconteceu com o Z5 Premium. Samsung e Apple, por exemplo, não estão lá muito preocupadas com o preço de seus modelos, mas fazem questão de disponibilizá-los o quanto antes. Já o Z5 Premium chegou em alguns países em novembro de 2015, mas só estreou no Brasil em abril de 2016, espaço de tempo suficiente para uma nova geração de aparelhos desembarcar ao mercado.

Xperia Z5 Premium

Se o objetivo era cobrar um preço tão alto, por que não trazê-lo antes, colocando-o como o melhor smartphone Android de 2015? Chegando em 2016, com modelos como o Galaxy S7 e S7 Edge já lançados, ele passa a impressão de "velho".

O grande problema no caso do Z5 Premium, em especial, é que nada menos do que duas feiras de tecnologias mundiais (CES e MWC) ocorreram nesse meio tempo, com uma nova geração de aparelhos de diversas empresas. Então, mesmo que ele fosse classificado como o "melhor aparelho Android quando lançado" (não é), ele chegou pertencendo à geração anterior. Enquanto isso, a Samsung anunciou o Galaxy S7 em fevereiro e começou a vendê-lo em março. Ou seja: um aparelho tão caro... da geração anterior? Não faz sentido.

Até mesmo o iPhone fica barato

Raras são as empresas que se arriscam a cobrar mais do que o valor do iPhone, visto como o teto de preços de smartphones em praticamente qualquer lugar do mundo. Há sim modelos que custam mais caro, só que devem provar realmente ser uma melhor opção, mostrar o seu valor. Por R$ 4.700 o consumidor pode levar para casa um iPhone 6s de 128 GB e ainda "economizar" R$ 100, o mesmo valendo para o iPhone 6s Plus de 64 GB. Em questão de armazenamento, é possível chegar até 160 GB de espaço no Xperia Z5 Premium usando um cartão microSD de 128 GB. Só que um modelo de qualidade, classe 10, faz com que o valor gasto pelo usuário passe facilmente dos R$ 5.000.

iPhone 6s

Quando um smartphone chega ao ponto de custar mais caro do que um iPhone 6s de 128 GB, é bom que ele tenha recursos suficientes para justificar seu preço. Esse aí não tem.

Nem vale a pena fazer uma comparação de qual deles ofereceria o melhor custo-benefício, uma expressão que não faz sentido nessa faixa de preços. Mas a questão que fica é: a Sony tem esse capital tecnológico para colocar um preço maior do que o do iPhone (que começa com R$ 3.999), justificando-o como um modelo premium? Afinal, temos um "Premium" escrito no nome.

Tela 4K e Snapdragon 810

"Ele é caro, mas é o único modelo com tela 4K do mercado". Sim, verdade: o Z5 Premium ultrapassa a barreira dos 800 pontos por polegada quadrada... em situações muito, mas muito específicas. Basta tirar uma screenshot da tela para ver que o display trabalha com 1080p, fazendo upscaling para 4K somente em alguns casos, como vídeos. O Android não possui suporte nativo para telas Ultra-HD, ainda bem, aliás, já que a autonomia de bateria seria consideravelmente reduzida, se não fosse o caso. E mesmo assim, segundo testes de laboratório, é uma tela inferior à presente no Galaxy S7, apesar da resolução superior.

xperia z5 premium

Você paga por um modelo com tela 4K e leva para casa um modelo que trabalha com 1080p a maior parte do tempo. É como comprar um carro 2.0 que funciona como 1.0 no dia a dia, "ativando" o motor 2.0 somente em algumas situações especificas.

Outro ponto é o chip Snapdragon 810, que chegou para os tops de linha no começo de 2015. Ou seja, trata-se de um modelo com mais de um ano de idade em um smartphone caríssimo. Chip de 2015 com preço de 2017. Isso sem esquecer o fato que o Snapdragon 810 foi um dos piores chips projetados pela Qualcomm, superaquecendo com facilidade e consumindo mais energia do que deveria. Mesmo custando mais caro do que o Galaxy S7 Edge, traz um chip inferior, mal projetado e incapaz de competir com o Exynos 8890, equivalente a Snapdragon 820.

Então, não vale a pena?

Um ponto inquestionável do Z5 Premium é que ele é sim um modelo avançado. Tem uma tela fantástica, configuração mais do que suficiente para qualquer usuário nenhum colocar defeito, câmeras de altíssimo nível, construção de qualidade, enfim, tudo o que um usuário espera de um modelo premium. Agora, valer a pena ou não é um ponto completamente questionável, ainda que, para sermos completamente sinceros, a resposta é um "não" bastante seguro. Isso não o desmerece automaticamente, porém.

A pergunta "vale a pena?" não faz sentido em aparelhos mais caros. Usuários não se interessam por modelos como iPhone 6s e Galaxy S7/S7 Edge pensando no custo-benefício, já que eles passam do limite de preços para que uma análise racional resulte em uma nota alta. Algo como a divisão de benefícios pelo preço do aparelho. O mesmo vale para o Z5 Premium, já que a Sony não tem a menor preocupação em apresentá-lo como um modelo competitivo.

Agora, a Sony perdeu a noção de realidade nesse caso. Trata-se do smartphone Android mais caro do mercado sem a menor justificativa para tal. Nem chegar atualizado para a versão 6.0 Marshmallow ele veio, algo inaceitável em um modelo tão caro. Apple e Samsung cobram caro, mas trazem seus aparelhos de forma rápida, com o que tem de melhor e criam campanhas para convencer o usuário que os seus respectivos aparelhos são as melhores opções.

Já a Sony traz um smartphone desatualizado, com hardware de mais de um ano e com preço mais alto do que ambas. Qual o seu argumento de venda? A tela 4K, ativa somente em alguma situações específicas? Ou "porque é Sony"? Infelizmente não cola. Independentemente de preferência de marca, a impressão que fica é que vale mais a pena "economizar" (muitas aspas aqui) comprando um iPhone 6s ou um Galaxy S7 do que comprar um Xperia Z5 Premium.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.