OnePlus 9 Pro surge em plataforma de testes com especificações arrebatadoras

Por Diego Sousa | 16 de Novembro de 2020 às 10h30
Reprodução
Tudo sobre

OnePlus

Saiba tudo sobre OnePlus

Ver mais

Previsto para ser apresentado em março de 2021, o OnePlus 9 Pro (nome não oficial) foi flagrado no banco de dados da plataforma de testes Geekbench. Como era esperado, o smartphone aparece com algumas das especificações técnicas que devem se tornar padrão em celulares de ponta no ano que vem, como sistema Android 11 de fábrica e chipset Snapdragon 875.

A versão do OnePlus 9 Pro encontrada tem código de modelo LuBan LE2117 e traz 8 GB de memória RAM. Ela fez 1.122 pontos no teste de núcleo único, 246 pontos a mais que seu antecessor, e 2.733 pontos no teste de múltiplos núcleos. Curiosamente, no segundo teste o modelo deste ano se saiu melhor, com 427 pontos a mais, embora isso não necessariamente signifique que ele seja mais rápido.

OnePlus 9 Pro flagrado em benchmark com 8 GB de RAM e Snapdragon 875 (Foto: Reprodução/Gizmochina)

Rumores mais recentes apostam que o novo topo de linha da OnePlus será lançado com tela AMOLED de 144 Hz, enquanto a versão tradicional seria apresentada com 120 Hz. Outra informação, esta dada como certa, deve ser o suporte à recarga com fio de 65 W e 40 W sem fio.

As informações também revelam alguns detalhes do futuro Snapdragon 875, que será oficializado no começo do próximo mês. Corroborando rumores anteriores, o novo chip da Qualcomm deve contar com oito núcleos de processamento, liderados pelo novo Cortex-X1 rodando a 2,84 GHz, a mesma frequência do 865. No entanto, a CPU promete desempenho 30% superior, além de duas vezes mais potência em tarefas de inteligência artificial.

Núcleos de processamento do Snapdragon 875 (Foto: Reprodução/Gizmochina)

Outros três núcleos ficariam a cargo do Cortex-A78, rodando a uma frequência de 2,42 GHz, com desempenho 7% superior ao A77, este que encabeça do chip anterior. Por fim, os últimos quatro seriam o Cortex-A55 rodando a 1,8 GHz, usado em parceria com as CPUs mais potentes para desempenhar tarefas de baixo consumo energético.

Fonte: Gizmochina  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.