Na Coreia do Sul, Samsung é inocentada em ação sobre Galaxy Note 7

Por Redação | 10 de Agosto de 2017 às 17h14

A Samsung escapou de pagar uma indenização de US$ 822 mil ao receber o veredito a seu favor em um tribunal local da Coreia do Sul. A gigante de tecnologia era ré em uma ação coletiva motiva por 1.900 proprietários do Galaxy Note 7.

A justificativa da decisão informava que ficou difícil de acreditar que a inconveniência dos proprietários, diante do recall dos aparelhos e da descontinuação da produção do Note 7, era inaceitável.

A ação correu no Tribunal Distrital Central de Seul. No processo, os 1.900 donos do aparelho pediam compensações da ordem de 935 milhões de wones, equivalente a US$ 822 mil — cerca de US$ 433 por pessoa.

Na queixa, eles alegaram que sofreram uma série de inconvenientes provocados pelos problemas do aparelho. Relataram diversas visitas aos centros de serviço pós-venda pessoalmente, todas bancadas por eles mesmos, a fim de levar o aparelho para conserto e troca de bateria.

O Galaxy Note 7, descontinuado pela Samsung em outubro de 2016

O Note 7 começou a ser vendido em 19 de agosto de 2016, e a Samsung anunciou o recall global do aparelho em setembro desse ano, após inúmeros relatos de que alguns aparelhos pegaram fogo enquanto estavam sendo carregados. Eles entravam em combustão espontânea.

A empresa então reembolsou os proprietários do Galaxy Note 7. Quem recusou o dinheiro recebeu outro modelo da Samsung em troca. Em outubro, a Samsung suspendeu a produção do aparelho.

Ainda há outra ação, esta correndo nos Estados Unidos, mas até agora nenhuma decisão foi anunciada.

Fonte: Korea Herald