Mi Mix não vai ser lançado fora da China, diz executivo da Xiaomi

Por Redação | 27.10.2016 às 08:29

A Xiaomi fez com o Mi Mix o que há algum não tempo não conseguia: deixar muita gente com o queixo caído. Com um design de tirar o fôlego e display ocupando praticamente toda a sua parte frontal, o smartphone encantou o público e deixou muitos se perguntando quando poderiam colocar as mãos nele, já que apenas a data de lançamento na China foi anunciada. Se você é uma dessas pessoas, é bom ir tirando o cavalinho da chuva.

Em declaração nesta quinta-feira (27), Jai Mani, gerente de produtos da Xiaomi para a Índia, afirmou que o Mi Mix não será lançado fora da China e que a empresa jamais pensou nessa possibilidade. "Ainda é um conceito, então não acredito que faz sentido lançá-lo em outros mercados", disse o executivo ao responder um usuário do Reddit sobre a chegada do smartphone na Índia.

Embora se refira especificamente ao país asiático, a afirmação de Mani confirma suspeitas anteriores de que, por se tratar de um conceito, o Mi Mix terá um número restrito de aparelhos fabricados. Outra característica que impede expandir a disponibilidade do aparelho é seu corpo todo feito em cerâmica.

Para o diretor de pesquisa da IHS Electronics, Kevin Wang, essa característica limitará a produção de 10 mil Mi Mix por mês. Segundo ele, a estrutura do aparelho é demasiadamente complexa e demanda mais tempo de manufatura do que, por exemplo, o Mi 5, que teve uma versão cuja traseira foi feita com o material.

Dessa forma, se já eram remotas as chances de o Mi Mix chegar ao Brasil, agora elas são abismais. Já faz um tempo que a empresa deixou de vender seus produtos por aqui, num claro sinal de que desistiu de sua empreitada no país, e não faz nenhum sentido acreditar que ela trará o phablet mais desejado do momento para cá.

Inovador e extremamente atraente, o Mi Mix se destaca por trazer uma tela de 6,4 polegadas e 2.040 x 1.080 pixels que ocupa mais de 91% da frente do aparelho. Dentro da carcaça, ele vem equipado com um SoC Qualcomm Snapdragon 821 e GPU Adreno 530. A bateria tem capacidade de 4.440 mAh e oferece suporte à tecnologia Quick Charge 3.0, enquanto a câmera traseira é de 16 megapixels e a frontal de 5 megapixels.

Como se tudo isso não fosse suficiente, o aparelho chegará às lojas chinesas a partir da próxima sexta-feira (04) em duas opções de configuração: uma mais modesta com 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento, que custará US$ 516; e outra com 6 GB de RAM e 256 de armazenamento UFS 2.0, que custará US$ 590.

Via Reddit, Techtimes, Phandroid