iPhone X não teria iniciado novo ciclo de atualização, afirmam analistas

Por Felipe Demartini | 30 de Março de 2018 às 12h49
photo_camera 9to5mac
TUDO SOBRE

iPhone X

Quanto mais o tempo passa, mais se firma, entre analistas e especialistas no mercado mobile, que o iPhone X não foi exatamente o sucesso esperado pela Apple. Agora, a Goldman Sachs, uma das principais empresas de acompanhamento de mercado do mundo, voltou a reduzir a expectativa de vendas do iPhone para o atual ano fiscal, indicando que o tal “superciclo” esperado por muitos entusiastas não aconteceu ainda.

A palavra tem a ver com uma dinâmica do mercado de celulares, no qual o lançamento de uma nova linha motiva uma verdadeira corrida às lojas, principalmente entre aqueles que já são clientes. A ideia é que a chegada de um novo formato, com mudanças significativas em relação ao anterior, leve os usuários atuais a acelerarem a troca de seus aparelhos, além de atrair outros que ainda não são compradores.

O alto preço do iPhone X mesmo no mercado internacional, que em sua versão mais barata custa US$ 999, bem como discordâncias quanto à reentrância presente na tela, considerada feia e esquisita por muitos, impediram esse fenômeno. Por mais que a Apple afirme que o smartphone teve o lançamento mais popular da sua história, sem falar em números, especialistas acreditam que a história não é tão estrelada assim, com a maioria dos entusiastas aguardando baixas nos valores e possíveis mudanças de design.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Com isso, a Goldman Sachs reduziu em 2,5% a previsão de vendas do iPhone até setembro de 2018. Na visão dos analistas, 217,3 milhões de unidades dos smartphones devem ser colocadas nas lojas, com demanda abaixo do esperado. Para 2019 e 2020, também houve baixa nas expectativas, respectivamente, de 4% e 1,8%.

Na expectativa dos analistas, o iPhone deve comercializar 53 milhões de unidades até o final de março, com mais 40 milhões no segundo trimestre. Há aumento em relação aos primeiros três meses do ano passado, quando 50,7 milhões de dispositivos foram vendidos, mas redução na comparação com o segundo

Apesar disso, o banco de investimentos indicou um possível aumento no total de unidades em operação no mundo, chegando a 631 milhões de aparelhos ao redor do mundo. Uma boa notícia, mas, mais uma vez, reflexo da ausência de um “superciclo” – a Apple pode conquistar novos usuários, não necessariamente com o iPhone X, enquanto os clientes atuais podem não se sentir motivados a trocarem de dispositivo tão cedo.

As vendas abaixo do esperado estariam motivando uma mudança de rumos da própria Apple. De acordo com os rumores, a empresa estaria disposta a abandonar um sucessor para o dispositivo e investir no formato anterior, com melhor aceitação, e lançar três modelos com diferentes tamanhos de tela e recursos.

Como sempre, porém, a empresa não fala no assunto nem comenta rumores, especulações ou previsões sobre o futuro. A companhia também não revelou números específicos relacionados às vendas do iPhone X.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.