iPhone 7 ainda vende mais que o iPhone 8, afirma consultoria

Por Redação | 09 de Novembro de 2017 às 13h19
Tudo sobre

O decepcionante resultado do iPhone 8 nas lojas de todo o mundo voltou a ser apontado pela Canalys, uma consultoria especializada em análises do setor de tecnologia. De acordo com os dados dos especialistas da empresa, o iPhone 7 foi o smartphone mais disponibilizado no mercado durante o terceiro trimestre de 2017, enquanto seu sucessor recém-lançado não aparece nem mesmo entre os cinco primeiros.

Os números fortalecem a noção de que a falta de inovação presente no novo modelo, bem como o corte de preços que sempre ocorrem em dispositivos antigos após a chegada de mais novos, tenham contribuído para o resultado. De acordo com os dados da Canalys, 13 milhões de unidades do iPhone 7 foram disponibilizadas aos usuários entre julho e setembro de 2017, mostrando que o desempenho da versão ainda vai muito bem, obrigado.

Em segundo lugar, outro modelo da Apple, o iPhone 6s, com 7,9 milhões de dispositivos disponibilizados. Em uma terceira posição bastante próxima está o Samsung Galaxy J2 Prime, com 7,8 milhões, seguidos de dois modelos da chinesa OPPO, o A57 (7,8 milhões) e o R11 (7,2 milhões) que completam o ranking.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os números da Canalys mostram também uma preferência dos usuários pelo modelo de tela maior. O iPhone 8 Plus teve 6,3 milhões de unidades disponibilizadas aos usuários, enquanto seu irmão menor correspondeu a 5,4 milhões de envios de dispositivos às prateleiras. O iPhone X não aparece nas estimativas pois foi lançado apenas neste quarto trimestre.

Ainda falando sobre a Apple, a consultoria apontou também um aumento no interesse por versões mais antigas, como o iPhone 6s, que apareceu em segundo lugar, e a edição SE, interessante para quem não quer um smartphone tão grande assim. São, mais uma vez, frutos de interesses específicos ou quedas de preços, que tornam os dispositivos do passado ainda interessantes para aqueles que não querem gastar tanto em um celular novo.

É importante frisar, por outro lado, que os dados apresentados não representam as vendas dos dispositivos, mas sim, sua disponibilidade em lojas. São uma medida do interesse dos consumidores, refletido em pedidos para as fabricantes e colocação de dispositivos nas prateleiras.

A permanência de produtos mais antigos na cabeça dos consumidores, ainda, é uma prova de que as estratégias da Apple vêm funcionando, e por mais que os modelos mais recentes não estejam tendo performance tão boa assim, a situação está longe de ser negativa. A empresa sempre reduz os preços e continua incentivando os usuários a comparem edições antigas do iPhone, ao mesmo tempo em que apresenta suas inovações para o público que prefere investir alto em soluções de topo de linha.

Em sua mais recente divulgação de resultados financeiros, entretanto, a companhia não falou especificamente em números relacionados ao iPhone 8. Por outro lado, disse que o lançamento do smartphone foi bem-sucedido e que seu modelo Plus teve o maior lançamento desde que a companhia começou a lançar versões de tela grande de seus dispositivos, superando até mesmo suas próprias expectativas.

Fonte: 9 to 5 Mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.