Importação de telas recua e indica queda na fabricação de smartphones no Brasil

Por Redação | 03 de Fevereiro de 2016 às 15h42

Diversos componentes dos smartphones produzidos no Brasil são fabricados no exterior. Por isso, há uma grande necessidade de realizar a importação dessas peças para que o aparelho possa chegar até os consumidores tecnológicos. Por exemplo, as telas utilizadas são todas importadas e os números de importação desse componente servem como parâmetro para avaliar como está a produção de smartphones no país.

Segundo a IDC, houve uma queda acentuada no volume de importação de telas neste começo de ano por parte das grandes fabricantes. Em média, uma tela importada hoje irá estar disponível nos smartphones para os consumidores daqui a cinco meses. Sendo assim, mesmo que ocorra um repentino aumento da demanda por smartphones no Brasil no primeiro semestre, os fabricantes não estarão preparados para atendê-la.

De acordo com o analista da IDC, Leonardo Munin, "tem fabricante de grande porte planejando girar em 2016 metade do que girou em 2015". Para ele, o foco das fabricantes mudou. "O foco não está mais em volume, mas no retorno financeiro", disse. Há uma previsão de demissões nas fábricas e redução na variedade dos portfólios, como consequência da crise econômica e da redução da produção.

A estimativa é que sejam vendidos em 2016 no Brasil cerca de 40,7 milhões de smartphones, o que representa uma queda significativa de 14% em relação a 2015, quando foram comercializados 47,3 milhões. A previsão é ainda mais pessimista para os feature phones que deverão despencar 56%, caindo de 4,1 milhões para 1,8 milhão em 2016. Somando os dois tipos de celulares, a previsão é de uma redução de 17% neste ano. Para realizar o cálculo, o IDC leva em consideração fatores como a alta dos preços, recessão econômica, desemprego, além de dados de importação de insumos e entrevistas com os fabricantes.

A forte influência do câmbio também pesará no aumento dos preços dos aparelhos. A expectativa de Munin é que as vendas no Brasil se concentrem em aparelhos na faixa entre R$ 900 e R$ 1,1 mil. Na virada do ano, houve um reajuste de R$ 200 em média nos aparelhos vendidos no mercado brasileiro. Caso o dólar permaneça por muito tempo no patamar de R$ 4, novos reajustes devem ser aplicados.

Via TI Inside

Fonte: http://convergecom.com.br/tiinside/02/02/2016/reducao-na-importacao-de-telas-indica-queda-na-producao-de-smartphones-no-brasil/?noticiario=TI