iPhone 6 vende três vezes mais que o iPhone 6 Plus, aponta pesquisa

Por Redação | 17.11.2014 às 11:53 - atualizado em 17.11.2014 às 13:41
photo_camera Divulgação

A aposta da Apple em smartphones de tela maior pode não ter sido tão bem vista assim pelos usuários. De acordo com dados da UBS, firma de pesquisa que publica análises sobre o mercado de smartphones, o iPhone 6 “convencional” está vendendo três vezes mais que o Plus.

Para o especialista Steve Milunovich, a diferença de apenas 0,8 polegada entre os dois displays pode parecer pequena, mas estaria fazendo toda a diferença nos números da Apple. Segundo os dados da empresa, cerca de 90% das vendas de iPhone durante o mês de outubro seriam dos novos modelos, com uma divisão de 68% desse total para a edição com tela de 4,7 polegadas e 24% para a de 5,5 polegadas.

Na visão do analista, problemas como o "Bendgate" seriam os responsáveis por essa aceitação considerada baixa. Ainda assim, os números poderiam muito bem ser esperados pela companhia, já que muitos usuários achariam melhor apostar no modelo de tela menor, que mesmo assim é maior do que os antecessores, do que pagar uma soma ainda mais alta pelo Plus, considerado por muitos como grande até demais.

Mesmo assim, como mostra o site Ubergizmo, o resultado é mais positivo do que negativo para a Apple. Em 2013, no lançamento dos iPhones 5S e 5C, a venda de novos modelos constituíram 84% do total de smartphones comercializados no primeiro mês nas prateleiras. Ou seja, há mais interesse pelos aparelhos de última geração atualmente e a Maçã pode estar pavimentando continuamente um caminho de upgrade para seus usuários.

Estes são números baseados na análise da UBS. Oficialmente, a Apple não divulga detalhes sobre as vendas, preferindo falar em números totais de comercialização de seus smartphones. Da mesma maneira, a empresa não comenta sobre suas expectativas de vendas ou os resultados nas prateleiras, o que impede saber exatamente o que a companhia está pensando sobre o movimento nas lojas.

Resta conhecer, por exemplo, qual a relação entre oferta e demanda do iPhone 6 Plus. Como aponta Milunovich, é possível que a própria Apple tenha antecipado esse movimento de vendas, o que levaria a empresa a produzir menos unidades do modelo e, sendo assim, não entregar mais aparelhos do que conseguiria vender.

Os primeiros resultados oficiais sobre as vendas do iPhone 6 devem ser revelados antes do final do ano. Por enquanto, sabemos que os modelos quebraram todos os recordes de pré-venda da companhia e teriam levado a empresa a intensificar seus esforços de fabricação para atender a uma demanda superior à esperada.