iPhone 6 Plus desbloqueado já é vendido no eBay por US$ 1,8 mil

Por Redação | 12.09.2014 às 18:30
photo_camera Divulgação

Quer ter o iPhone 6 Plus logo no lançamento sem a necessidade de ficar preso a um contrato com operadoras de telefonia? Então é hora de desembolsar uma bela grana. Prevendo a escassez de celulares no primeiro dia de vendas do produto, que acontece em 19 de setembro, o eBay já começa a contar com vendedores do dispositivo.

Um leilão, em particular, possui lances na casa dos US$ 1,8 mil, cerca de R$ 4 mil na cotação atual, sem impostos. A página em particular vale para o modelo Plus, e o vendedor, identificado como supramerch, diz já estar acampado na porta de uma loja da Apple, junto com diversos de seus funcionários, para garantir diversos celulares logo no lançamento.

Assim, o vencedor do leilão poderá escolher livremente entre qualquer cor e tamanho de armazenamento disponíveis, garantindo a posse do aparelho tão rápido quanto os correios são capazes de entregar. O Brasil está na lista de países elegíveis para entrega, mas é melhor se preparar para pagar mais um bom dinheiro em opções de frete, ou então correr o risco de receber o superfaturado aparelho depois de seu lançamento oficial por aqui.

O mesmo vendedor diz possuir também anúncios relacionados à versão convencional do iPhone 6, com tela de 4,7 polegadas. A página específica, porém, não pode ser encontrada em meio a produtos como cartas de Pokémon, roupas e até apoios para copo, que estão entre os produtos vendidos por ele.

Outros leilões também já começam a pipocar no site, mas ainda apresentam valores um pouco mais modestos. Um deles, por exemplo, vende por R$ 2,9 mil a versão de 128 GB do iPhone 6 ou então a edição Plus com 64 GB de armazenamento pelo mesmo preço. Neste caso, trata-se do modelo na cor preta, pelas mãos de um vendedor da Inglaterra.

Oficialmente, o iPhone 6 e seu irmão maior, Plus, chegam às lojas dos Estados Unidos, Japão, Reino Unido e outros na próxima sexta-feira. A Apple pretende lançar o celular em mais de cem outros territórios até o final do ano. Esperamos que o Brasil faça parte desta lista, mas por enquanto, as informações para cá ainda não foram confirmadas.