Fundador da RED culpa empresa parceira por fracassos do Hydrogen One

Por Nathan Vieira | 26 de Julho de 2019 às 09h56
Tudo sobre

Saiba tudo sobre Hydrogen One

Ficha técnica

A RED Digital Cinema enfrentou vários problemas pelo atraso do lançamento de seu smartphone de estreia, o Hydrogen One, e da entrega dos aparelhos para quem comprou na pré-venda. A empresa entrou no mercado de smartphones no fim do ano passado, mas a ideia do excêntrico celular não foi o suficiente para convencer um número significativo de compradores.

No entanto, o fundador da RED, Jim Jannard, atribui o fracasso do smartphone a uma empresa parceira.

O fracasso do RED Hydrogen One

RED Hydrogen se destaca pelo design, mas tem hardware defasado (Foto: Divulgação/RED)

O principal destaque do RED Hydrogen One, que foi lançado custando US$ 1.300 (o equivalente a cerca de R$ 4.916), era o seu design diferente de tudo o que tinha sido visto pelo público, com a parte traseira construída com fibra de carbono, titânio e alumínio. Devido aos adiamentos do lançamento do produto, a RED acabou ficando muito atrás dos concorrentes, e o smartphone chegou com um hardware relativamente defasado.

Para o fundador da empresa, no entanto, os problemas estão relacionados com uma empresa parceira:
"Contratamos uma empresa chinesa que ficou responsável por desenhar e prototipar o Hydrogen One e levá-lo para fabricação na Foxconn", escreveu Jannard.

"Embora a Foxconn tenha sido fantástica, nossa parceira, que foi responsável pela mecânica de nosso projeto, incluindo novas tecnologias junto com toda a integração de software com o processador Qualcomm, apresentou um desempenho significativamente inferior. Conseguir que ela concluísse os recursos acordados e corrigisse problemas conhecidos no Hydrogen One provou ser além de um desafio. Impossível, na verdade".

Apesar do discurso do fundador da RED, as maiores reclamações em torno do Hydrogen One não eram sobre seu design ou por ele ter sido projetado de uma forma inadequada, mas sim porque o smartphone não fornecia nenhum recurso responsável por levantar mais interesse do que qualquer outra linha da concorrência. O telefone devia ter contado com um sistema de câmera diferenciado, que acabou não acontecendo, e prometia uma tecnologia 3D que não foi convincente.

RED dá a outra face

Mas se você acha que a má recepção do smartphone pelo público foi suficiente para impedir que a RED interrompesse a criação de mais produtos, está errado.

"Começamos o trabalho no Hydrogen Two", anunciou Jannard. Segundo ele, o smartphone será construído "praticamente do zero, com um novo parceiro, claramente mais capaz de construir e oferecer o suporte que nós (e nossos clientes) demandamos".

O executivo ainda deixou um recado para os clientes da primeira linha de smartphones lançada pela empresa: "Entendemos plenamente as frustrações de nossos clientes". Para consertar isso, ele prometeu que os donos do Hydrogen One receberão "tratamento preferencial" para o Hydrogen Two.

Fonte: ArsTechnica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.