Funcionário da Foxconn desviou cerca de R$ 1,56 milhão em iPhones

Por Redação | 02 de Dezembro de 2016 às 16h19

Taí um sujeito que definitivamente não vai levar o prêmio de funcionário do ano. Um funcionário da Foxconn conseguiu desviar cerca de US$ 1,56 milhão em iPhones roubados enquanto estava empregado na fabricante chinesa.

Um gerente de produção, identificado como "Tsai", trabalhou no departamento de testes da filial da companhia em Shenzhen, durante 2013 e 2014 roubando milhares de aparelhos da Apple - na época a companhia estava produzindo as linhas iPhone 5 e iPhone 5S.

Segundo fontes ligadas à Foxconn, ele foi o líder de um grupo que roubou cerca de 5,7 mil aparelhos. Depois de investigado o sumiço dos aparelhos e descoberto que Tsai estava à frente do esquema de roubo de iPhones, ele foi preso e poderá ser condenado a 10 anos na cadeia.

Esta não é a primeira história de funcionários da Foxconn quebrando a ética profissional para ter um lucro pessoal. Há alguns anos, cinco funcionários foram acusados de quebra de confiança depois de negociarem subornos com fornecedores de componentes para fazer vista grossa em inspeções de qualidade. Eles foram condenados a 10 anos de prisão.

Vale lembrar, entretanto, que a Foxconn não tem uma fama de ser um bom empregador, provendo condições pouco favoráveis para seus colaboradores. A empresa chegou a ser envolvida em um escândalo com suicídios de funcionários deprimidos pelas más condições de trabalho.

Para completar, parece que funcionários humanos estão cada vez menos previstos nos planos da Foxconn. Este ano, a fabricante reduziu sua força de trabalho de 110 mil funcionários para cerca de 50 mil, usando máquinas em diversas etapas de sua produção.

Fonte: Digital Trends