Estudo aponta que os smartphones estão reduzindo nossa capacidade cerebral

Por Redação

Uma nova pesquisa realizada pela McCombs School of Business da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, aponta que os smartphones estão prejudicando o poder de raciocínio do cérebro de seus usuários. Adrian Ward, professor adjunto da McCombs, em conjunto com outros pesquisadores, descobriu que apenas a presença do smartphone faz com que o nível de raciocínio dos indivíduos seja reduzido em atividades que necessitam de concentração absoluta.

Os pesquisadores realizaram testes de capacidade cognitiva, concentração e atenção em cerca de 800 pessoas. Em um dos experimentos, os usuários de smartphones tiveram que se sentar em frente a um computador para realizarem uma série de testes que exigiam concentração total. Para começarem os testes, porém, eles foram orientados a colocarem seus smartphones no modo silencioso, seja com a tela voltada para baixo em cima da mesa ou com o aparelho em outro cômodo.

O resultado do experimento mostrou que os participantes que colocaram seus smartphones em outro cômodo superaram significativamente aqueles que tiveram seus aparelhos em cima da mesa. Os pesquisadores sugerem que a mera presença de um smartphone é capaz de reduzir a capacidade cognitiva dos usuários, prejudicando a concentração e a habilidade cerebral de adquirir e processar dados mesmo em situações onde as pessoas sintam que estão totalmente concentradas em outras atividades.

"Nós vemos uma tendência linear que sugere que, à medida que o smartphone se torna mais visível, a capacidade cognitiva disponível dos participantes diminui", explicou Ward. "Sua mente consciente não está pensando no smartphone, mas o processo de exigir que você não faça algo pode usar parte dos seus limitados recursos cognitivos". O professor responsável pelo estudo ainda afirma que não é o caso de os "participantes estarem distraídos porque recebiam notificações em seus celulares", mas a simples "presença de seu smartphone era suficiente para reduzir sua capacidade cognitiva".

Este não é o primeiro estudo que aponta que a dependência dos usuários por seus smartphones tem contribuído para alterações cerebrais. No final de 2014, o Instituto de Neuroinformática da Universidade de Zurique concluiu em um de seus relatórios que a utilização intensa de smartphones tem provocado mudanças no comportamento cerebral para se adaptar a operação repetida das telas de toque. A pesquisa acrescentou, ainda, que os resultados obtidos apenas reforçam a ideia de que a onipresença dos smartphones tem resultado em um grande efeito na vida diária das pessoas.

Fonte: Science Daily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.