Oficial: Xiaomi balança, mas do Brasil ela não sai

Por Redação | 25.05.2016 às 19:59 - atualizado em 25.05.2016 às 22:08

Após o boato sobre a Xiaomi se retirar do Brasil ser desmentido, a empresa chinesa se pronunciou com mais detalhes sobre sua atuação no país. Em entrevista ao Android Pit, a Xiaomi revelou mudanças no plano de negócios para o país, que por ora não deverá receber novos smartphones da marca.

Segundo Hugo Barra, vice-presidente internacional da chinesa, a inconstância no cenário tributário do Brasil é a principal causa da decisão de não lançar novos produtos. "Sabemos da expectativa dos fãs a respeito de novos produtos, mas concluímos que, dada a atual situação, é a decisão correta”, explica Barra ao Android Pit.

Em vez da suposta saída, o que vai acontecer é uma readequação da estrutura de operações, como é o caso da equipe de marketing e redes sociais, que vai ser deslocada para Pequim, China.

“Eles continuarão a cuidar das nossas atividades de marketing no Brasil e irão também contribuir para nossos planos para a América do Norte. Com um time lá, o Brasil ganha mais relevância e representatividade junto ao time global”, acrescenta.

A tributação também levou a empresa a optar por suspender a produção local dos smartphones. "Eles são produzidos no Brasil quando, e se, a fabricação for mais vantajosa comparada à importação. Como as regras para os incentivos fiscais oferecidos no Brasil para a produção local estão em constante mudança, optamos, neste momento, por pausar a produção”, comenta.

Barra reforçou que a saída da Xiaomi do país não está nos planos e que estas mudanças não significam uma retirada lenta da marca, mas sim que são parte de uma estratégia de expansão planejada.

O e-commerce da chinesa, bem como o suporte ao cliente e a assistência técnica, continuarão a atuar no Brasil com sites parceiros, como Submarino, Americanas, Shoptime, Casas Bahia, Extra, Pontofrio, Walmart, Webfones e Ricardo Eletro.

Imóvel para alugar

O site Manual do Usuário, responsável pela primeira informação divulgada sobre a possível saída da Xiaomi do país, revelou na noite desta quarta-feira (25) que o escritório da empresa chinesa em São Paulo já está disponível para locação. As informações são de uma fonte não revelada e detalham que o imóvel já está sendo anunciado no VivaReal. Duas propostas cobrindo o valor inicial de R$ 21 mil já teriam sido feitas ao proprietário, que já estaria em vias de assinar um novo contrato.

Em resposta ao Manual, a Xiaomi comentou que existe uma chance de saírem do escritório até o final do ano, mas que isto não está confirmado.

Ainda que não confirmado objetivamente, o anúncio vai ao encontro do que foi falado sobre a transferência da equipe de marketing para a matriz chinesa. Considerando que a produção será congelada, que não haverá nenhuma inserção de novos produtos e que as vendas acontecerão via perceiros de e-commerce, um escritório menor focado em suporte e atendimento ao cliente faria sentido.

Entretanto, se isso representa de fato uma reformulação da presença da fabricante em terras canarinhas ou um recuo estratégico e gradual para não admitir os rumores de retirada do mercado local, só o tempo vai dizer.

Via AndroidPit