Doença do Touch: síndrome dos iPhones 6 ocorre porque eles entortam

Por Redação | 16 de Setembro de 2016 às 18h41

Desde que a Apple mudou o design de seus smartphones, alguns usuários permanecem insatisfeitos com algo que vem acometendo cada vez mais aparelhos: a chamada "doença do touch". Essa "síndrome" começa a aparecer depois de um certo tempo de uso nos iPhones 6 e, principalmente, 6 Plus, e consiste de uma barra cinza no topo da tela, além, claro, de uma má resposta quanto a sensibilidade do toque.

Lembra-se do caso Bendgate? Ele é o desencadeador do problema. A falha acontece porque os telefones têm uma resistência muito baixa à flexão na altura dos botões de volume e podem sofrer os reflexos disso quando colocados no bolso traseiro da calça, por exemplo. Se o dono de um iPhone 6 Plus tem o costume de se sentar com o telefone no bolso de trás, é bem provável que ele acabe envergando nessa região, mesmo que de forma pouco perceptível, e a dor de cabeça comece a partir daí.

touchdesease

A síndrome da tela acontece porque, exatamente na altura dos botões, estão localizados os chips que controlam a resposta ao toque na tela do iPhone. A partir do momento que o aparelho apresenta uma leve flexão no seu eixo, as soldas dos componentes internos se enfraquecem nos contatos e a função fica prejudicada.

Vale lembrar que apenas os iPhones 6 e 6 Plus estão sujeitos a entortar, uma vez que a Apple (embora não tenha admitido a falha) reforçou o alumínio usado na carcaça dos modelos mais novos. Se o seu iPhone é dessa geração e começou a apresentar problemas na tela ou na resposta ao toque, o melhor é levá-lo em uma Apple Store ou em um revendedor autorizado para tentar resolver o problema da melhor forma possível. Vale lembrar que essa geração de iPhones já está há dois anos no mercado, ou seja: poucos são os aparelhos que ainda estão na garantia.

Com informações do Motherboard