Deixou o smartphone cair na água? Saiba o que fazer antes de se desesperar

Por Luciana Zaramela

Smartphones deveriam ser objetos à prova d'água, dada a quantidade de acidentes envolvendo o aparelho em ambientes diversos, como piscinas, bacias, pias, vasos sanitários, poças, banheiras, boxes de banho, mares, rios e tudo que envolve água.

Enquanto a tecnologia dos fabricantes não se aplica para resolver o problema dessa estranha atração entre líquidos e smartphones, resta aos usuários mais descuidados saber como proceder em casos de acidentes. Portanto, se seu celular caiu na água ou tomou uma chuva forte, fique atento: não se desespere antes de tentar 'ressuscitá-lo'.

Primeiros socorros

Haja o que houver, o primeiro passo é desligar o smartphone e retirar o cartão SIM (chip). Pressione e segure o botão 'power' até aparecer a tela de desligamento. Ou continue pressionando o botão até que o dispositivo se desligue completamente.

No caso do iPhone, o difícil vai ser achar uma agulha para remover o cartão SIM. Mas é só improvisar: encontre um clipe de papel, insira-o no compartimento do chip até ouvir um 'pop' e retire o cartão o quanto antes.

Verificando o nível do estrago

Os smartphones da Apple possuem indicadores de contato com líquidos que mudam de cor. Conforme indica a figura abaixo, tanto o conector do fone de ouvido quanto o do carregador possuem este indicador. Com a ajuda de uma lanterna, olhe bem no interior destes conectores e verifique se eles não se apresentam avermelhados.

iPhone

Imagem: Apple

Se você não encontrou o ponto vermelho, ótimo! O telefone não deve ter sofrido nenhum dano. Mas se o ponto vermelho apareceu em um ou nos dois conectores, é melhor eliminar a umidade e tentar remediar.

Obs.: apesar da ênfase ao iPhone, o indicador e as medidas tomadas para evitar maiores danos se aplicam também a iPads e iPods.

Eliminando a umidade

Depois de desligar o telefone e retirar o cartão SIM, o próximo passo é colocar o aparelho dentro de um saquinho de arroz cru. O cereal, quando cru e totalmente seco, é ideal para absorver a umidade que está no interior de seu telefone. Se puder, utilize aqueles sacos plásticos com fecho zip — será possível remover todo o ar e selar o plástico. Uma alternativa é usar uma vasilha estilo Tupperware e mantê-la fechada, com o iPhone e o arroz.

iPhone

iPhone e arroz: uma boa combinação pós acidente com água (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech)

Se você tiver flocos de sílica gel, melhor ainda. Muitos pacotinhos deste material vêm em vários produtos, de vestuário a eletrônicos. Quanto mais você tiver, melhor. O procedimento é o mesmo: espalhe os saquinhos de sílica em uma vasilha ou sacola plástica e deixe o iPhone em repouso. Quanto mais sílica, melhor. Vale lembrar que este produto é tóxico e deve ser mantido longe do alcance de crianças e animais.

Muitas pessoas tentam usar secador de cabelo para secar o telefone molhado. Não é o mais aconselhável, mas tome cuidado: jamais direcione o jato de ar de um secador em temperatura quente para seu smartphone. Isso pode danificar e até derreter certos componentes internos do aparelho. Se for usar um secador, prefira um especializado, como os utilizados em aparelhos auditivos.

Tempo de espera

Existem casos de smartphones que foram totalmente submersos em água e ressuscitaram ao terceiro dia. Também ouve-se falar de smartphones que foram molhados e resolveram dar seu primeiro sinal de vida após um mês. Isso depende da quantidade de água que entrou em contato com o interior do aparelho e de quais partes foram afetadas pela umidade. Também existem casos de telefones que tomaram chuva e nunca mais funcionaram.

Seja como for, o ideal é esperar, no mínimo, 3 dias. Podem ser os 3 dias mais longos da sua vida, mas é tempo suficiente para que os componentes do aparelho fiquem secos, estando ele em armazenamento adequado (arroz ou sílica). Seja paciente e não tente ligar o iPhone nem recarregar sua bateria antes deste prazo.

Ligando como se nada tivesse acontecido

Se você seguiu todos esses passos, ligou o seu telefone e ele voltou ao normal, parabéns! Tudo indica que nenhum componente sensível foi afetado severamente e seu smartphone voltará ao normal. Basta colocar o cartão SIM de volta e utilizar, a partir de agora, um case ou capinha à prova d'água para protegê-lo de futuros acidentes.

Infelizmente, nem todos os casos têm um final feliz. Se o seu aparelho não voltou a funcionar, não tente abri-lo: leve-o ao revendedor autorizado e explique o que aconteceu. Apesar de a garantia não cobrir mau uso, é possível que você consiga um novo por um preço bem inferior, devolvendo seu antigo aparelho.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.