Carregamento sem fio pode ficar de fora do iPhone 8

Por Redação | 13.07.2017 às 13:37

Mais problemas no que já parece ser um tortuoso caminho percorrido pelo iPhone 8 até as lojas. De acordo com novos rumores, o dispositivo pode chegar às prateleiras sem a capacidade de carregamento por indução, ainda confiando nos bons e velhos fios para que possa funcionar. Essa solução chegaria depois, por meio de atualização de software, e teria uma base vendida separadamente, dando mais tempo para que a Apple trabalhe nela.

Seria mais um indício dos problemas que, de acordo com boatos, a fabricante vem enfrentando na implementação de novas tecnologias no smartphone deste ano. Além do carregamento por indução, também estariam enfrentando dificuldades o sistema Touch ID sob a tela e a aplicação de displays OLED – já renegados somente a uma de três versões do nov iPhone a serem lançadas nesse ano.

A questão quanto à recarga sem fio, entretanto, parece ser um pouco mais complexa e teria a ver não somente com problemas de implementação, mas também na tentativa de usar uma tecnologia proprietária. Isso é mais uma conclusão do que um rumor, que leva em conta a ideia de que, para que a tecnologia seja habilitada depois, os dispositivos de hardware que permitem seu uso já precisam estar dentro do aparelho.

Isso se traduz em uma bobina que permite o carregamento por indução. Ela é ativada por uma base que realiza a transmissão de energia e é um requisito essencial para que a funcionalidade seja ativada. E se ela precisa estar no aparelho em seu lançamento, mesmo que só seja possível usá-la depois, por que não lançar o iPhone 8 já com o recurso ativo? A resposta para isso seria uma tentativa da Apple de confiar apenas em tecnologias proprietárias para isso.

Isso se traduz em uma noção de que o novo smartphone não poderá ser recarregado por dispositivos do tipo disponíveis hoje no mercado, com a Maçã obrigando os consumidores que desejarem a usar o recurso a adquirir uma base própria e exclusiva, que funcionará apenas com os aparelhos iOS. Uma alternativa que não agrada muito aos usuários.

É uma conclusão, também, que está de acordo com o comportamento padrão da fabricante, que costuma utilizar cabos, periféricos e outros dispositivos que funcionam somente em seu ecossistema. O cabo Lightning ou o Apple Watch são dois exemplos, que ao mesmo tempo geram exclusividade, mas também reduzem a porta de entrada de novos clientes.

Por enquanto, nada de informações oficiais. A Apple vem mantendo o silêncio sobre a próxima geração do iPhone e também sobre os possíveis problemas que estaria enfrentando em sua fabricação. A expectativa é que o novo aparelho seja anunciado em setembro, com um lançamento acontecendo algumas semanas depois.

Fonte: Forbes