Apple perde liderança para a Xiaomi no mercado chinês de smartphones

Por Redação | 03.08.2015 às 14:08
photo_camera Divulgação

Sucesso na China graças ao iPhone 6 Plus, a Apple perdeu a liderança na indústria chinesa de smartphones. De acordo com dados da empresa de pesquisas Canalys, a companhia da Maçã foi ultrapassada pela Xiaomi, que teve um aumento de 15,9% na quota de mercado e agora ocupa a primeira posição do ranking de maiores fabricantes do país.

Desde o último trimestre de 2014, a Apple dominava as vendas na China com o iPhone 6 e o iPhone 6 Plus — especialmente este segundo, por causa da tela maior, favorita entre os chineses. Na época, a empresa superou tanto a Xiaomi quanto a Huawei, líderes no mercado asiático, e o resultado foi ainda mais surpreendente porque o preço de venda do iPhone é bastante superior ao de outros dispositivos feitos localmente. Para efeito de comparação, a quota de mercado da Apple na China durante o primeiro trimestre de 2015 chegou a 14,7%, totalizando 14,5 milhões de celulares vendidos.

Só que tanta popularidade entra numa espécie de "prazo de validade": agora, dez meses depois de terem sido lançados, os iPhones 6 e 6 Plus estão no período que antecede a chegada dos novos smartphones da Apple, que devem ser revelados em setembro. Por conta disso, a demanda pelos aparelhos atuais tende a diminuir, favorecendo companhias locais com opções mais baratas.

Além disso, é preciso levar em conta outros dois fatores. O primeiro é que o terceiro trimestre fiscal da Apple geralmente costuma ser o mais fraco, mesmo que a empresa tenha lucrado US$ 10,7 bilhões e vendido 47,5 milhões de unidades de iPhones. A segunda razão é o próprio mercado chinês, que ano após ano se mostra mais saturado e lento quanto ao lançamento de produtos semelhantes àqueles que já estão disponíveis nas lojas. Isso também contribui para a consolidação de fornecedores locais, já que possuem aparelhos com diferentes configurações e preços.

"O mercado chinês de smartphones continua a amadurecer, permanecendo estagnado trimestre a trimestre", disse o analista da Canalys, Jingwen Wang, em um comunicado de imprensa. "A competição entre as principais marcas nunca foi tão intensa. A Huawei registrou os maiores embarques de smartphones em sua história, sem comprometer a sua margem de produto ou rentabilidade", complementou.

Embora a Canalys não tenha especificado a quota de mercado no segundo trimestre da Apple na China, dados da Counterpoint Research estimam que esse índice chegue a 12,2%. Isso coloca a empresa na terceira posição de maiores fabricantes do cenário de smartphones na China. Em primeiro aparece a Xiaomi, com 15,8%, seguida pela Huawei, com 15,4%.

Mesmo assim, a China ainda é um dos mercados mais importantes para a Apple. Para se ter uma ideia, as vendas do iPhone no país mais que dobraram no primeiro trimestre deste ano. A expectativa é que o país adicione ainda em 2015 quase US$ 60 bilhões em vendas para as receitas globais e cerca de US$ 15 bilhões em receita operacional aos caixas da Apple.

Fonte: CNET