Xiaomi anuncia seus primeiros produtos no Brasil; confira os preços

Por Joyce Macedo | 30.06.2015 às 12:48 - atualizado em 30.06.2015 às 14:52
photo_camera Bruno Hypolito/Canaltech

Finalmente a chinesa Xiaomi vai começar oficialmente suas atividades no Brasil. Nesta terça-feira (30), a empresa está realizando um evento na cidade de São Paulo para anunciar o lançamento dos seus primeiros gadgets no país. A conferência foi transmitida ao vivo por meio do canal da empresa no YouTube e o Canaltech também acompanhou tudo de perto para trazer as principais novidades para você.

A grande expectativa era em relação aos preços dos produtos da empresa, que na China oferecem uma ótima relação custo-benefício e já têm assustado grandes companhias do setor, como a Samsung – a Xiaomi já ultrapassou a empresa sul-coreana e se tornou a maior vendedora de smartphones na China.

A empresa já opera por aqui há pouco mais de um ano em um escritório em São Paulo, mas o início das vendas de seus aparelhos empacou em algumas questões burocráticas. O primeiro smartphone da companhia foi homologado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no final do ano passado.

Os principais anúncios realizados pelo vice-presidente internacional da Xiaomi, o brasileiro Hugo Barra, dizem respeito à chegada dos primeiros produtos da empresa no país: o smartphone Redmi 2, a pulseira que monitora atividades Mi Band e o Mi Power Bank.

Hugo Barra

O brasileiro Hugo Barra, ex-Google que deixou a gigante das buscas para se tornar vice presidente global da Xiaomi, durante a apresentação da companhia no Brasil (Foto: Bruno Hypolito/Canaltech)

Redmi 2

O modelo intermediário Redmi2 é o primeiro smartphone da Xiaomi a chegar no Brasil. Com um processador Snapdragon 410 e interface MIUI 6, o dispositivo promete um desempenho superior aos concorrentes da mesma categoria (Moto G, Zenfone 5, LG G3 Beat, entre outros).

A MIUI 6 é a nova versão da plataforma própria da Xiaomi, criada com base no Android, e que traz algumas novidades relacionadas a design e animações, tornando seu visual mais bonito e agradável. De acordo com a Xiaomi, mais de 100 milhões de usuários ao redor do mundo já utilizam a MIUI.

A tela de 4,7 polegadas com resolução HD do Redmi 2 promete oferecer cores, brilho e contraste tão bons quanto o iPhone 6, da Apple. Mas vamos ao detalhe mais esperado por todos: o preço. O Redmi 2 custará apenas R$ 499 no Brasil. Entre os motivos que levaram o valor do produto a ficar abaixo dos concorrentes atuais está o fato do aparelho ser fabricado no nosso país. De acordo com Hugo Barra, as primeiras unidades do smartphone serão importadas até que sua linha de produção na Foxconn de Jundiaí esteja a todo vapor.

As especificações do Redmi 2 incluem:

  • Processador Snapdragon 410 64-bit quad-core de 1,2 GHz
  • 1 GB de RAM
  • 8 GB de armazenamento interno (expansível)
  • Tela de 4,7 polegadas IPS HD totalmente laminada com resolução em 720p (312 ppi)
  • Dual SIM 4G
  • Câmera de 8MP f/2.2
  • 9,4 mm de espessura
  • 133 gramas
Xiaomi Redmi 2

Outro detalhe interessante sobre o atendimento da Xiaomi no Brasil é que a empresa vai oferecer o seu sistema de assistência técnica a domicílio adotado atualmente na Índia. Nesse sistema, um funcionário da empresa vai até a residência do usuário retirar o aparelho com problemas após a efetuação de um cadastro e, em seguida, o leva para reparo. No final do processo, o gadget será entregue novamente na casa do consumidor. Porém, por enquanto, apenas clientes de São Paulo terão acesso a essa comodidade.

As vendas do Redmi 2 serão realizadas pelo site mi.com e, a partir das 16h desta terça-feira (30), os clientes interessados poderão realizar um cadastro demonstrando interesse na aquisição do Redmi2. As vendas oficiais começam no dia 7 de julho, às 12h.

Mi Band

O segundo produto anunciado pela Xiaomi no Brasil foi a pulseira Mi Band, seu monitor de atividades feito em liga de alumínio. O gadget vestível coleta automaticamente os dados relacionados às atividades exercidas pelos usuários durante o dia e, durante a noite, monitora a qualidade do seu sono. Basicamente, não é preciso fazer nada para ativar a Mi Band.

De acordo com Hugo Barra, a bateria da pulseira dura oficialmente 30 dias, mas o executivo fez questão de frisar que ela pode durar até 50 dias – mais do que cinco vezes a duração das atuais pulseiras disponíveis no mercado. A Mi Band vai custar R$ 95 no Brasil. O valor ainda é superior ao cobrado no exterior (cerca de US$ 16), mas ainda assim possui um bom custo-benefício para o consumidor brasileiro.

XIAOMI EVENT

Mi Power Bank

Por fim, a Xiaomi anunciou o lançamento da bateria externa Mi Power Bank, que oferece 10.400 mAh – o suficiente para carregar completamente até 3,4 vezes o smartphone Redmi 2. O carregador portátil é compatível com todos os smartphones que possuem entrada USB e custará R$ 99.

Mi Power Bank