Análise revela novos problemas na fabricação do iPhone X

Por Redação | 23 de Outubro de 2017 às 15h26
TUDO SOBRE

iPhone X

A Apple pode manter o silêncio o quanto quiser, mas cada vez mais, os indícios e rumores vindo diretamente das linhas de montagem na Ásia indicam que a fabricação do iPhone X está enfrentando cada vez mais problemas. Agora, uma análise do Bloomberg, uma das mais importantes publicações de negócios do mundo, aponta essa questão como irreversível.

E, na opinião do colunista Tim Culpan, a Maçã não tem ninguém a culpar a não ser ela mesma. Para o especialista, uma série de decisões erradas e previsões equivocadas quanto ao andamento da indústria devem levar, sem sombra de dúvidas, a um esgotamento rápido das unidades do iPhone X que chegarem às lojas, no mês que vem, junto com uma incrível dificuldade de atender a todas as pré-vendas realizadas até lá. Alguns clientes terão de esperar até 2018 para colocar as mãos em seus aparelhos, inclusive.

Para ele, um dos principais problemas foi a aposta na tecnologia OLED, ainda bastante difícil e custosa de ser fabricada. A Samsung, uma das principais fornecedoras de displays desse tipo, ainda apresenta um fluxo de produção abaixo do necessário para o hype que foi gerado pelo iPhone X. Culpan afirma que o CEO da Apple, Tim Cook, e o diretor de operações, Jeff Williams, provavelmente acreditaram que, entre concepção e fabricação, a situação se normalizaria, mas não foi isso o que aconteceu.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Outros conceitos também tiveram de ser abandonados por conta disso. Culpan corrobora rumores antigos de que a Apple teria planejado, originalmente, um sensor de impressões digitais que funcionaria sob a tela. Entretanto, a dificuldade em fabricar os componentes necessários a levou a apostar em uma tecnologia substituta, a de reconhecimento facial, que deve chegar às lojas de forma apressada, o que pode acabar resultando em desastrosos problemas de segurança. Afinal de contas, estamos falando de um sistema que não apenas desbloqueia o dispositivo, mas também serve para realizar compras.

A separação esquisita entre as datas de lançamento do iPhone 8 e de sua versão X já seria um indício dos problemas, com a Apple tentando ganhar mais tempo para atender à demanda. Isso, entretanto, também teria criado um monstro – muita gente pode ter aguardado para colocar as mãos na próxima inovação da Maçã, que pode acabar frustrando consumidores quando nem todos forem atendidos.

Números do mercado mostram que a situação é ainda pior. Desde o início do ano, empresas taiwanesas de tecnologia que realizam fornecimento para companhias do exterior precisam revelar publicamente seus números mensais de vendas. Para a Hon Hai Precision e a Taiwan Semiconductor Manufacturing, duas das principais parceiras da Apple no país, o que se vê são números em queda, não por falta de interesse da Maçã, mas pela dificuldade na entrega de painéis OLED e sensores de câmera.

Em resumo, o especialista afirma que a Apple, normalmente assertiva nesse assunto, deixou que sua gana por inovação ultrapassasse sua capacidade de entregar produtos. A expectativa, ainda, é de que as unidades que efetivamente cheguem às mãos dos clientes apresentem problemas de fabricação devido à pressa em produzir e montar o iPhone X. O pesadelo atual, afirma Culpan, seria apenas o início.

A Apple mantém sua política de silêncio com relação ao assunto e mantém para o dia 3 de novembro o lançamento do dispositivo. As pré-vendas começam nesta sexta-feira (27), e pelo menos por enquanto, não existem indícios de que as datas serão adiadas.

Fonte: Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.