Venda de smartphones no Brasil cresce 22% no segundo trimestre

Por Redação | 12 de Setembro de 2014 às 19h00
photo_camera Divulgação

Os brasileiros estão cada vez mais conectados com celulares inteligentes. É o que indica a mais recente pesquisa da IDC Brasil, especialista em Tecnologia da Informação e Telecomunicações. De acordo com o estudo Mobile Phone Tracker Q2, foram vendidos 13.3 milhões de smartphones entre os meses de abril e junho deste ano, uma alta de 22% em relação ao mesmo período de 2013.

O mesmo levantamento indica que houve baixa na comercialização dos chamados "feature phones", os telefones comuns, sem sistemas operacionais. Esses aparelhos mais simples registraram vendas de 4.6 milhões de unidades, com queda de 16% em relação ao mesmo período do ano passado.

"O resultado do segundo trimestre para smartphones ficou acima da nossa previsão e representa um recorde de vendas não só no Brasil, mas no mundo inteiro. É a primeira vez que o País entra nesse patamar de 13 milhões e o mundo ultrapassa a marca de 300 milhões de smartphones vendidos. A expectativa é o bom momento persistir e um novo recorde ser batido nos próximos dois trimestres de 2014", afirma Leonardo Munin, analista de mercado da IDC Brasil.

Dos aparelhos vendidos neste segundo trimestre, a maioria absoluta utiliza o sistema operacional Android, 90%, com tíquete médio de R$ 700.

As principais causas da alta da venda dos smartphones estão atreladas à queda nos preços dos aparelhos, maior investimento da rede varejista, a inclusão do dispositivo no benefício fiscal da "Medida Provisória do Bem" e a prorrogação da isenção de impostos para essa linha de telefones. Apesar da grande queda na venda dos feature phones, Munin acredita que ainda não é momento desses aparelhos mais simples saírem do mercado. Contudo, até 2018, a projeção é de que esses dispositivos representem apenas 5% do montante total.

Em 2013, os smartphones e feature phones dividiam o gosto popular, com 53% da comercialização vinda dos celulares inteligentes e 47% proveniente dos mais simples. Atualmente, essa divisão mudou para 75% e 25%, respectivamente, valores que mostram a mudança do comportamento brasileiro na América Latina, já que o País tinha uma venda menor na região. "Desde o terceiro trimestre de 2013, no entanto, ocorre uma inversão e hoje a participação de smartphones no mercado de celulares no Brasil é maior tanto da média da região como da média mundial", comenta o analista.

O panorama também é animador para o mercado com relação aos phablets, os smartphones que beiram as dimensões dos tablets, com telas acima de cinco polegadas. Em 2012, foram vendidos cerca de 128 mil aparelhos no Brasil, com alta para 2.2 milhões em 2013. A projeção do IDC é que esses números cheguem perto dos 5 milhões ao final de 2014.

"Os aparelhos inteligentes estão se tornando cada vez mais um 'computador de bolso' e, quanto maior a tela, mais cômodo é para o usuário navegar pela internet, ler conteúdos, assistir vídeos e jogar", complementa Munin.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.