Rumor: Apple planeja lançar novos iPhones com telas maiores em 2014

Por Redação | 13.06.2013 às 13:16

A Apple se prepara para apresentar uma reformulação completa em sua linha iPhone para o próximo ano, incluindo dois tamanhos de tela distintos de 4,7 polegadas e 5,7 polegadas, segundo informam fontes ligadas a empresa à agência de notícias Reuters. E a companhia também deverá iniciar a produção de um iPhone de baixo custo em julho deste ano, que deve ser lançado em uma série de cores diferentes.

Os novos dados sugerem que o iPhone de baixo custo iniciará sua produção de massa em agosto e deve ser apresentado pela Maçã em setembro. Estima-se que serão produzidas 20 milhões de unidades para o período de compras de final de ano e que, além das novas cores, o dispositivo deverá ser equipado com carcaça de plástico, display de 4 polegadas como o presente no iPhone 5 e deve ser lançado por US$ 99 (R$ 211). Seu cronograma de lançamento também poderá ser adiado por até um ano, sugerem as fontes.

Rumores sobre os planos da Apple de lançar um iPhone de baixo custo, para competir diretamente com os smartphones Android que dominam os mercados emergentes, já circulam há algum tempo na internet e fontes afirmam que o novo foco da empresa são os 'phablets'. A introdução no mercado de aparelhos com telas maiores também teria como princípio competir com outros dispositivos que estão dentro desta categoria como, por exemplo, a linha Galaxy Note, da Samsung.

No entanto, as fontes consultadas pela reportagem da Reuters afirmam que os planos para iPhones com telas maiores estão mais distantes do que os planos para o iPhone de baixo custo. Até o momento, a Apple estaria discutindo as possibilidades junto aos seus parceiros de produção, mas ainda não teria definido qualquer prazo para sua produção ou lançamento.

Recentemente, Tim Cook, atual CEO da Apple, sugeriu durante sua participação na conferência do All Things Digital, nos Estados Unidos, que poderíamos ver um iPhone com display maior assim que alguns problemas envolvendo duração da bateria, qualidade da tela, reprodução de cores e outras falhas fossem corrigidos. Cook também admitiu que muitos consumidores estão mais inclinados em adquirir dispositivos maiores.