ResearchKit: Mais de 10 mil pessoas querem participar de projeto médico da Apple

Por Redação | 13 de Março de 2015 às 12h58

Cada vez mais os cientistas estão usando a tecnologia atual para ajudar em suas pesquisas, inclusive quando se trata de smartphones. A Universidade de Stanford, na Califórnia, anunciou um projeto de estudos cardiovasculares que vai usar o ResearchKit, um software que foi apresentado pela Apple no início desta semana. Com ele, os pesquisadores terão uma nova forma de colher informações sobre os seus pacientes: usando um iPhone.

Segundo informações do site Apple Insider, antes mesmo de a notícia completar 24 horas, mais de 10 mil pessoas já haviam se inscrito para participar da pesquisa da Universidade de Stanford. Segundo os pesquisadores, esse processo, normalmente, leva cerca de um ano para ser concluído, e precisa da ajuda de 50 clínicas médicas.

A plataforma funciona com código aberto e como uma conexão entre o paciente e médicos, auxiliando esses profissionais a expandirem as suas enquetes e coletando uma maior quantidade de dados, o que resulta em uma maior precisão e exatidão.

Porém, os pesquisadores já alertaram os candidatos sobre as possíveis falhas do aplicativo em relação ao armazenamento dessas informações, que podem não ser tão confiáveis. Eles também estão questionando a capacidade do aplicativo na proteção da privacidade.

Os voluntários terão que andar a todo e qualquer momento carregando os seus smartphones para que o GPS e o acelerômetro façam o seu serviço rastreando as suas atividades. Os resultados devem apontar quais tipos de treinamento serão os melhores para melhorar o condicionamento físico de cada pessoa.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.