Próximos smartphones da BlackBerry terão de volta os teclados físicos

Por Redação | 08.01.2014 às 15:52
photo_camera GUSTAVO LINARES / CANALTECH

Não é novidade que a BlackBerry enfrenta uma situação difícil no mercado corporativo. Só no ano passado, a companhia perdeu cerca de US$ 4,4 bilhões, sendo que mais da metade dessa quantia (US$ 2,6 bilhões) foi por causa dos novos dispositivos colocados à venda – isso sem contar o cancelamento de dois dispositios inéditos. Contudo, a empresa parece que vai retornar às raízes em 2014 e se focar novamente em smartphones equipados com teclados físicos.

Em entrevista à Bloomberg Television, John Chen, atual CEO da BlackBerry, disse que os futuros telefones da companhia devem abandonar as telas sensíveis ao toque para "predominantemente" dar espaço ao teclado físico. "Eu, pessoalmente, amo os teclados", destacou o executivo durante a Consumer Electronic Show, a CES, em Las Vegas, nos Estados Unidos.

O motivo para essa volta às origens está no tipo de consumidor que a empresa irá se focar daqui em diante: clientes corpoativos e governamentais. Eles foram os responsáveis pelo sucesso inicial da plataforma porque, segundo a BB, esses usuários preferiam teclados reais pois tornam mais fácil a tarefa de escrever e-mails e enviar mensagens de texto.

Outro exemplo que mostra a importância dos teclados físicos para a companhia é que a BlackBerry está processando a fabricante de um acessório para iPhone 5 e iPhone 5S com um teclado embutido. A acusação é que o produto, chamado Typo Keyboard, é bastante parecido aos produtos da empresa canadense e viola suas patentes e designs. A organização que produz o teclado é uma startup de Los Angeles fundada por Ryan Seacrest, apresentador do programa da TV americana "American Idol" americano.

Além disso, os esforços da BlackBerry para atrair mais consumidores corporativos é o recente desligamento da cantora pop Alicia Keys. Ela foi nomeada como diretora criativa global pelo ex-CEO da empresa, Thorsten Heins, em janeiro do ano passado, quando também lançou o Z10, um celular com display touchscreen que fracassou em vendas e gerou quase US$ 1 bilhão de prejuízo por encalhar nas lojas.

Reestruturação

Em dezembro de 2013, John Chen anunciou uma parceria de cinco anos com a Foxconn Technology Group. A taiwanesa será responsável pela fabricação e desenvolvimento de alguns dos novos telefones da BlackBerry, com o objetivo de eliminar custos desnecessários de produtos não lucrativos.

O primeiro aparelho fabricado pela Foxconn ainda deve seguir a linha touch screen, mas Chen disse que o teclado físico será dominante em longo prazo. "A Foxconn pode ser uma parceira realmente grande. Não apenas para eliminar meu risco de estoque, mas também por sua capacidade de ingressar em vários mercados diferentes, como os que ainda estão em desenvolvimento e emergentes", declarou.

Nesta segunda-feira (6), a companhia anunciou a contração de Ron Louks, ex-executivo da HTC Corp. e da Sony Ericsson, para gerenciar seu negócio de aparelhos. Nas palavras de Chen, "Ron é um cara muito criativo". "Eu acho que ele está mais em contato não só com a tecnologia e o design para fabricar um telefone, mas também por dentro de como é o telefone de que as pessoas gostam", acrescentou.