Project Ara: protótipo do celular modular do Google pode ficar pronto em abril

Por Redação | 08.04.2014 às 13:49

A cada novo anúncio do Google o Project Ara se torna ainda mais interessante – e soa como algo irresistível aos amantes de tecnologia. Atualmente, mais de 100 pessoas em uma dúzia de empresas estão envolvidas no projeto. Uma equipe do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) visitou a principal equipe por trás do smartphone modular da gigante da web para conhecer melhor seu protótipo.

Paul Eremenko, ex-chefe do escritório da DARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos EUA) e atual líder do Project Ara, explicou que o Google fornecerá o chamado "endoesqueleto" do telefone modular, porém o ecossistema de hardware será completamente aberto para os fabricantes interessados.

O tal endoesqueleto do dispositivo terá, inicialmente, oito slots traseiros para o encaixe de módulos menores, dois slots frontais para receber o display e, por exemplo, um conjunto de botões. Tudo isso funcionará em conjunto graças à UniPRO, uma interface de alta velocidade desenvolvida para interligar os circuitos integrados. Os módulos serão fixados no aparelho por meio de eletroímãs permanentes, o que dispensará o uso de pressão ou algum tipo de dobradiça para conectá-los.

Os endoesqueletos serão oferecidos aos fabricantes em diferentes tamanhos, desde algo parecido com pequenos players de música até phablets, por exemplo. Ao longo do tempo, com o surgimento de novos fabricantes interessados, os usuários serão capazes de combinar diversos módulos diferentes para criar um smartphone totalmente personalizado e adaptado às suas necessidades específicas – como uma boa câmera fotográfica, sensores diferenciados, etc.

Um módulo que traz uma lente de câmera com infravermelho já está em fase de desenvolvimento. Ao ser encaixado no telefone, ele permitirá que o usuário fotografe em ambientes escuros, uma tarefa que os smartphones atuais não estão aptos a realizar.

Câmera infravermelho Project Ara

Módulo de câmera com infravermelho já está em desenvolvimento (Imagem: Reprodulão / MIT)

Outra novidade interessante descoberta pelo pessoal do MIT foi uma parceria firmada entre o Google e a fabricante 3D Systems para o desenvolvimento de módulos de plástico impressos em 3D. Esse tipo de personalização pode aumentar ainda mais a gama de cores e desenhos escolhidos por cada usuário.

Câmera Project Ara com invólucro

Exemplo de hardware final do módulo da câmera com infravermelho, já com invólucro de plástico impresso em 3D (Imagem: Reprodução / MIT)

Com o avanço da tecnologia, é possível imaginar que, além das peças de plástico, alguns componentes eletrônicos também possam ser impressos, tais como antenas e baterias.

O primeiro protótipo do Project Ara deve ser concluído ainda este mês e a primeira conferência para desenvolvedores do projeto está agendada para os dias 15 e 16 de abril, em Mountain View, Califórnia.