O que esperar do Samsung Galaxy S IV?

Por Pedro Cipoli

O Samsung Galaxy S3 não foi o primeiro smartphone quad-core que surgiu no mercado, nem o primeiro a ter uma tela com resolução HD (1280x720, ou 720p), e mesmo assim se tornou um dos aparelhos Android mais desejados durante alguns confortáveis meses e sinônimo do que um smartphone top de linha deveria ser. A combinação de um processador quad-core, tela gigante de 4,8 polegadas e design pensado do zero foram as principais características para o seu sucesso, gerando uma expectativa mundial sobre o próximo modelo da linha.

Galaxy S4

Até então, o único aparelho que conseguia gerar tantos rumores sem ainda nem ser lançado era o iPhone, com previsões e expectativas aparecendo por todos os cantos da internet, e hoje temos este mesmo cenário com o Galaxy S IV. O que sabemos até agora? Dos rumores "confirmados" temos uma tela de 4,99 polegadas com resolução Full HD resultando em uma densidade de pixels de absurdos 441 ppi (o iPhone 5 tem 326 ppi), carcaça de metal e câmera de 13 megapixels.

O que não sabemos é o chip que equipará o S IV, gerando discussões entre os fãns da marca especialmente spós a Samsung ter demonstrado o seu chip de 8 núcleos durante a CES 2013, o que faz sentido se olharmos a evolução da linha Galaxy S que sustenta a possilidade de um modelo equipado com esse chip para a próximo geração:

  • Samsung Galaxy S: single-core de 1 GHz (ARM Cortex-A8; Processamento gráfico: PowerVR 540)
  • Samsung Galaxy S II: dual-core de 1,2 GHz (ARM (Cortex-A9; Processamento gráfico: ARM Mali 400MP)
  • Samsung Galaxy S III: quad-core de 1,4 GHz (ARM Cortex-A9; Processamento gráfico: ARM Mali 400MP)
Galaxy S

Galaxy S2Galaxy S3

Galaxy S2
Galaxy S3

Porém, há também rumores que afirmam que o Galaxy S IV será equipado com um chip quad-core de 2,0 GHz sendo dois deles voltados para desempenho (Cortex-A15) e dois para economia de energia (Cortex A7). Qual deles é o candidato mais provável a equipar o S IV? Não sabemos, mas vamos analisar com mais detalhes as especificações de ambos, que fazem parte da família Exynos 5 de chips fabricados pela empresa.

Samsung Exynos 5
  • Exynos 5 Quad: combinação de dois núcleos Cortex-A15 com dois núcleos Cortex-A7, ambos rodando a 2,0 GHz; Processamento gráfico: ARM Mali-T678 ou PowerVR SGX554MP com quatro núcleos;
  • Exynos 5 Octa: combinação de quatro núcleos Cortex-A15 com quatro núcleos Cortex-A7, ambos rodando a 2,0 GHz; Processamento gráfico: ARM Mali-T678 ou PowerVR SGX554MP com oito núcleos;

Acima podemos ver que as possibilidade de um chip quad-core ou octo core baseados somente em Cortex-A15 ou Cortex-A7 podem ser automaticamente destacadas, pois não possuem modelos dentro da família Exynos 5. A escolha entre um e outro depende de vários fatores, tanto técnicos quanto mercadológicos, afinal a Samsung não pode decepcionar depois de gerar tantas expectativas.

Exynos 5 Octa

Se por um lado o Exynos 5 Octa seja claramente mais potente, seus oito núcleos podem acabar sendo pouco utilizados. Como acontece com PCs, vários núcleos faz sentido em multitarefa, onde trocamos de aplicativos com frequência e fazemos 3 ou 4 coisas ao mesmo tempo, e este não é um cenário que temos em smartphones, e mesmo tento quatro núcleos voltados para economia de energia, estamos falando de 8 cores funcionais em um smartphone, que tem bateria de smartphone.

Juntando esse poder de processamento com uma tela com resolução Full HD, a autonomia pode acabar decepcionando. Um chip desses faria sentido em um tablet top de linha (talvez um Galaxy Note 10.1 II), que possui uma bateria grande o suficiente para sustentar os oito núcleos. A outra opção, o Exynos 5 Quad, se mostra ser um pouco mais equilibrado, pois um Cortex-A15 dual core já é capaz de lidar com uma enorme carga de processamento, como podemos ver no Samsung Nexus 10 e Samsung Chromebook.

Mas mesmo sendo uma boa notícia para as baterias, ele não é tecnicamente atraente como Exynos 5 Octa, já que muitos usuários estão na aguardando o primeiro smartphone com oito núcleos para chamar de seu. Em relação ao mercado, a Samsung tem hoje um cenário completamente diferente do que em maio do ano passado, onde o Galaxy S III não tinha concorrentes diretos, e esse é o principal argumento em favor de um chip octo-core.

Modelos top de linha como o HTC One, HTC Butterfly, LG Optimus G Pro e vários outros já foram lançados e possuem especificações e recursos de sobra, de forma que a escolha entre um chip e outro (além dos recursos adicionais) é o que determinará se a Samsung continuará no topo ou ficará na mesma cesta de smartphones top de linha junto com todos os outros, onde o preço é outra variável pode diferenciá-lo ou não dos concorrentes.

HTC One

HTC J ButterflyOptimus G PRO

HTC J Butterfly
Optimus G PRO

E você, usuário? Acha que qual dos dois chips equipará o Samsung Galaxy S IV? Conte-nos nos comentários!