Gartner recomenda que usuários do BlackBerry Enterprise encontrem alternativas

Por Redação | 30.09.2013 às 13:49

A conceituada empresa de consultoria Gartner está declaradamente recomendando a seus clientes corporativos que encontrem alternativas para o BlackBerry. Bill Menezes, analista de pesquisa da Gartner, disse durante uma entrevista ao ComputerWorld que "a Gartner recomenda que os clientes não levem mais de seis meses para considerar e implementar alternativas para o BlackBerry".

Ironicamente, a recomendação vem depois de a fabricante canadense anunciar que irá se concentrar em clientes corporativos e prosumers. Os clientes corporativos ainda representam uma grande parte da base de usuários da empresa, apesar do fato de que a maioria das grandes empresas e até mesmo os governos já utilizar dispositivos de outros fabricantes autorizados em suas redes. Menezes nota que a BlackBerry não vai desaparecer da noite para o dia, e é por isso que eles recomendam uma janela de seis meses para considerar e implementar alternativas.

A Gartner está trabalhando em um relatório completo com três opções de ações recomendadas para seus clientes que utilizam BlackBerry Enterprise Service ou dispositivos da empresa. É claro que não é possível especular neste momento quais alternativas serão as prediletas dos clientes corporativos da BlackBerry, afinal cada um deles possui seu próprio conjunto de preferências e necessidades.

Recentemente, a BlackBerry anunciou que assinou uma Carta de Intenção para formalizar um acordo de venda da empresa, avaliada em US$ 4,7 bilhões, para um consórcio liderado pela Fairfax Financial (atualmente a maior acionista da companhia).

Para selar sua má fase, a BlackBerry confirmou na última semana um prejuízo quase bilionário no balanço do segundo trimestre fiscal, encerrado em agosto. O principal culpado, segundo a própria companhia, é o smartphone BlackBerry Z10. O prejuízo total registrado foi de 965 milhões de dólares. A receita líquida do trimestre foi de 1,6 bilhões de dólares, com queda de 45% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando registrou 2,9 bilhões de dólares.