Galaxy Note 4: o phablet para quem está disposto a pagar pelo melhor

Por Pedro Cipoli
photo_camera BRUNO HYPOLITO / CANALTECH

Com exceção do Galaxy S original, em 2010, a Samsung manteve um padrão de lançamento de suas duas linhas avançadas: um Galaxy S no primeiro semestre e um Galaxy Note no segundo semestre do mesmo ano, trazendo uma tela maior, especificações mais parrudas e, claro, com a caneta S-Pen. Agora chegou a vez de conhecer o Galaxy Note 4, inspirado no Galaxy S5, e ver como ele é um dos melhores smartphones lançados até o momento.

Design

A construção do Galaxy Note 4 lembra mais o pouco conhecido Galaxy Alpha do que o Galaxy S5. As bordas são de metal, o que certamente passa uma noção de qualidade ausente no S5, que vem com bordas de plástico pintado que descascam com o tempo. Assim como boa parte da linha Galaxy, a parte traseira continua sendo de plástico, mas dessa vez imita couro como no Note 3. Apesar da semelhança, no Note 4 o material parece ser de melhor qualidade do que o do utilizado no S5, tendendo, novamente, para o Galaxy Alpha.

O posicionamento dos botões é padrão da Samsung, com o Power do lado direito, controle de volume à esquerda, conector USB na parte de baixo (padrão 2.0, ao invés do USB 3.0 utilizado no Note 3 e Galaxy S5) e conector para fones de ouvido na parte de cima. Sentimos falta de uma resistência a água e poeira, como acontece com o Galaxy S5, já que seria um importante diferencial para um aparelho que custa tão caro.

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4

Apesar de grande, o Note 4 é consideravelmente fino: tem apenas 8,5 mm de espessura. Não sentimos uma fragilidade mecânica como acontece com o Galaxy S5, algo provavelmente proporcionado pelas bordas de metal. Ainda assim, os 176 gramas do aparelho são mais pesados do que a média - algo já esperado, considerando as 5,7 polegadas.

Tela

O Note 4 segue a tendência do ano de 2014. Com tela Quad-HD (2.560 x 1.440 pixels), a densidade de pixels é um pouco menor do que a do Moto Maxx: 515 pontos por polegada, o que é uma densidade para lá de alta.

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4

Assim como o Galaxy S5, a tecnologia é a Super AMOLED, o que significa uma altíssima saturação de cores, taxas de contraste e níveis de preto. Estaríamos mentindo se disséssemos que, apesar da densidade maior de pixels, vimos alguma diferença em relação à tela do Galaxy S5, mas isso não exclui o fato de que se trata de uma das melhores telas disponíveis até o momento.

Configuração

A versão brasileira do Galaxy Note 4 vem com o chip Exynos 5433, fabricado pela própria Samsung, finalmente questionando a supremacia da Qualcomm em todos os tops de linha que vimos até o momento. Ele vem com oito núcleos e arquitetura big.LITTLE, com quatro núcleos voltados para a economia de energia rodando a 1,3 GHz (Cortex-A53) e outros quatro de desempenho rodando a 1,9 GHz (Cortex-A57). Vale lembrar que, dependendo da demanda por processamento, é possível ter os oito ativos ao mesmo tempo.

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4

Seguindo a tendência dos principais tops de linha do momento, o Note 4 vem com 3 GB de RAM e GPU Mali-T760, uma das mais recentes lançadas pela ARM. Essas são especificações de sobra para rodar qualquer tipo de app com bastante folga, além de proporcionar um multitarefa extremamente competente.

Comparando o desempenho com o Snapdragon 805, presente em outra versão do Note 4, é difícil dizer se há alguma diferença de performance na execução das tarefas. Somente em benchmarks reparamos uma diferença real, ainda que invisível no dia a dia, com mais poder de processamento, em especial em apps que conseguem utilizar todos os núcleos, e um pouco menos de processamento gráfico, comparado com a Adreno 420, mas que acontece mais pela maior otimização feita pela Qualcomm do que propriamente menos fôlego.

Assim como o Note 3, a versão brasileira vem com 32 GB de memória interna por padrão, além do suporte para mais 128 GB com um cartão micro SD. Ou seja: é possível chegar até 160 GB de armazenamento, um dos maiores valores disponíveis até então, já que modelos que trazem 64 GB (Moto Maxx e iPhone 6/6 PLUS) ou 128 GB (iPhone 6/6 PLUS) não trazem suporte para cartões micro SD.

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4

Há vários apps otimizados para a S-Pen, ainda que o Note 4 traga menos bloatwares do que estamos acostumados em smartphones da Samsung, somando 7 GB dos 32 GB disponíveis para o usuário. Naturalmente, a TouchWiz é a interface gráfica padrão e vale a pena mencionar que não observamos a lentidão comum da interface como acontece com o Galaxy S5 em alguns momentos (mais grave no Galaxy S4).

A solução da Samsung nada tem a ver com otimizações de interface, mas sim com o chip Exynos 5433. Ou seja, oferecer mais força bruta, não sendo a melhor solução, mas minimizando o problema. O Android de fábrica é o 4.4 KitKat e certamente veremos uma atualização para o Lollipop ainda no começo deste ano, já que se trata de um dos principais aparelhos da Samsung até o momento.

Câmera

Com os mesmos 16 megapixels do Galaxy S5, a câmera traseira do Galaxy Note é uma das melhores que vimos até o momento, competindo diretamente com o Xperia Z3 e Lumia 930. Ela é capaz de gravar vídeos em 4K, vem com HDR, estabilização de imagem, foco rápido e tudo o que esperaríamos de uma câmera avançada de smartphone.

Fotos - Samsung Galaxy Note 4
Fotos - Samsung Galaxy Note 4
Fotos - Samsung Galaxy Note 4
Fotos - Samsung Galaxy Note 4
Fotos - Samsung Galaxy Note 4
Fotos - Samsung Galaxy Note 4
Fotos - Samsung Galaxy Note 4

A câmera frontal também se destaca por vir com sensor de 3,7 megapixels e gravar vídeos em Quad-HD. Para fechar, um diferencial bacana é que o Note 4 tem 3 microfones que gravam áudio de forma independente, sendo possível isolar as trilhas sem grandes problemas.

Bateria e extras

Autonomia de bateria nunca foi um problema na linha Note da Samsung e aqui não é diferente. No caso, temos uma com generosos 3.220 mAh e, ainda que esteja longe de garantir dois dias de uso como o Xperia Z3 (que vem com uma bateria menor), não deixa o usuário na mão mesmo com uso pesado. Nós não precisamos trazer o carregador na mochila em nenhum dos nossos dias de teste.

O sistema de gerenciamento de energia é o mesmo do Galaxy S5, com a possibilidade de limitar o consumo de energia de aplicativos no segundo plano para economizar bateria e também com o modo emergência, que desabilita uma série de funções e deixa a tela em preto e branco.

Samsung Galaxy Note 4

Samsung Galaxy Note 4
Samsung Galaxy Note 4

Com exceção da TV digital e do rádio FM, praticamente qualquer extra disponível até o momento está presente no Note 4. Não entendemos o motivo de não haver rádio FM desde o Note 3 (o Galaxy Note II trazia esse recurso), mas ainda assim temos um kit bastante completo.

  • 4G LTE quadriband, compatível com todas as operadoras nacionais
  • Wi-Fi dual-band nos padrões A, B, G, N e AC com suporte a Hotspot e Wi-Fi Direct
  • Bluetooth 4.1 LE com A2DP e EDR
  • GPS com A-GPS, GLONASS e BeiDou
  • NFC
  • Porta infravermelha
  • USB 2.0 com suporta a MHL 3.0 e USB Host
  • Caneta Stylus (S-Pen) com 5 pontas extras inclusas na embalagem
  • Sensor de impressão digital
  • Sensor de batimentos cardíacos (na mesma região do flash), integrado com o S-Health
  • Air gesture

Um ponto que não gostamos foi a caixa de som na parte traseira. Ainda que a qualidade seja até “OK”, grande parte dos fabricantes finalmente está posicionando as caixas de som na parte da frente para uma melhor experiência. Seria bacana a Samsung levar isso em consideração nas próximas versões do Note. Já a qualidade de som nos fones de ouvido é excelente e o fone de ouvido incluso na embalagem não deixa o usuário na mão.

Na embalagem, temos o carregador (5V, 2A), cabo micro USB e o fone de ouvido utilizado no Galaxy S5.

Conclusão

O Samsung Galaxy Note 4 é o Android mais caro disponível no Brasil, trazendo o salgado preço de R$ 2899. É natural que a relação custo-benefício não seja tão boa como a de concorrentes como Moto X 2014, Ascend P7 e vários outros modelos, mas o preço é esperado, já que se trata de um dos Androids mais avançados que há por aí.

Com exceção da bateria, quesito onde o Xperia Z3 e o Moto Maxx são mais interessantes, ele tem o conjunto mais poderoso que vimos em 2014, com desempenho de sobra, câmera de cair o queixo, um design excelente e uma das melhores telas que há por aí, além de trazer a S-Pen e aplicativos otimizados para o acessório como um diferencial que poucos concorrentes oferecem no momento.

Cissa Magazine

Para quem busca o melhor e está disposto a lidar com o tamanho agigantado de 5,7 polegadas do Note 4, é difícil encontrar um concorrente que esteja no mesmo patamar, mas é importante ter em mente que muito do preço dele é posicionamento do mercado, não necessariamente revertido em recursos para o usuário final.

Vantagens

  • Tela de altíssima qualidade
  • S-Pen
  • Design acima da média
  • Desempenho de sobra
  • Câmera perfeitamente capaz de lidar com qualquer tipo de situação
  • 32 GB de memória interna por padrão

Desvantagens

  • Preço alto
  • A autonomia de bateria poderia ser maior, considerando os 3.220 mAh de capacidade
  • Sem TV digital, nem rádio FM
Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.