Estudo: de cada quatro celulares vendidos no Brasil, três são smartphones

Por Redação | 15 de Julho de 2014 às 13h00
photo_camera Divulgação

Celulares comuns ou modelos mais antigos do aparelho estão caindo em desuso no Brasil para dar lugar aos celulares inteligentes (smartphones). É o que aponta uma pesquisa empresa de consultoria especializada IDC e divulgada na última sexta-feira (11) pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), que analisou os dados. Até maio deste ano, a proporção de smartphones chegou a 76% do total das vendas no país.

Como informa o G1, foram vendidos 28,2 milhões de celulares nos cinco primeiros meses do ano, representando um aumento de 8% comparado ao mesmo período de 2013. Desses, quase 30 milhões, 69% (19,5 milhões) eram aparelhos que rodavam algum sistema operacional (iOS, da Apple, Android, do Google, ou Windows Phone, da Microsoft), capazes de baixar aplicativos e ferramentas de lojas online - função que não está disponível em telefones móveis mais comuns.

Os modelos tradicionais de celulares ainda respondem por 41% do mercado, mas estão em declínio. Em maio do ano passado, eles respondiam por 47% do total de vendas, contra 53% dos smartphones. Hoje, esse quadro é ainda mais positivo para os celulares inteligentes, que dominavam 76% da indústria até maio, contra apenas 24% dos aparelhos comuns.

De acordo com estimativas da IDC, o ano de 2014 deve fechar com 64,9 milhões de unidades de aparelhos telefônicos vendidos, dos quais 46,8 milhões serão smartphones e 18 milhões celulares tradicionais - respectivamente, 72% e 28% do mercado de telefones móveis no Brasil.

Parte desse crescimento contínuo dos smartphones é reflexo do aumento de aparelhos com tecnologia 3G. Também em maio deste ano, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou um relatório que constatou uma queda no número de utilização de conexões de segunda geração (2G). Entre janeiro e março deste ano, o órgão contabilizou que os dispositivos 3G passaram de 97,8 milhões para 105,4 milhões, enquanto os terminais 2G estão caindo em desuso. No mesmo período, a quantidade de 157,5 milhões de usuários 2G em janeiro caiu para 150,4 milhões em março.

Leia também:

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.