Com foco em software, BlackBerry anuncia ferramentas corporativas de segurança

Por Rafael Romer | 19 de Novembro de 2014 às 15h59

Em novembro de 2013, quando o executivo John Chen assumiu o posto de CEO da companhia, a BlackBerry enfrentava o desafio de frear o sangramento de suas finanças e retomar o crescimento da empresa, que, na época vinha numa espiral de quatro anos de más notícias.

O plano imediato de Chen foi claro: voltar a ganhar dinheiro. Para isso, a empresa fez os cortes necessários, se reorganizou internamento e retornou às suas origens com novos dispositivos corporativos e novas ofertas focadas em segurança, software e serviços empresariais.

Agora, a canadense já respira um pouco mais aliviada. A expectativa é que o primeiro trimestre do ano fiscal de 2016, que inicia em março do ano que vem, já seja o primeiro "break even" da empresa - ou seja, o ponto no qual as receitas se equilibrarão com os gastos.

"A gente começou a trabalhar isso com duas grandes frentes", explicou o diretor da BlackBerry para a América Latina Sul, João Stricker. "A primeira foi reduzir custo e o outro ponto foi garantir que tudo que a gente investisse fosse lucrativo para não abrir diversas frentes que não faziam sentido financeiro".

Na tarde desta terça-feira (18), a empresa revelou mais detalhes sobre os novos produtos de software e serviços corporativos que deverão ser sua base do crescimento no segmento enterprise.

No centro da estratégia, está a nova versão da plataforma de gerenciamento de mobilidade empresarial (EMM) da empresa, o BES 12. A ferramenta foi anunciada na semana passada durante um evento corporativo da companhia em São Francisco, nos Estados Unidos, e deverá ser a principal estratégia da canadense para atingir a meta de dobrar suas receitas em software até 2015, quando pretende atingir a marca de US$ 500 milhões.

A nova versão do BlackBerry Enterprise Server habilita o controle de ambientes corporativos protegidos dentro de dispositivos de colaboradores às empresas, permitindo que tablets e smartphones multiplataforma sejam utilizados tanto para fins pessoais quanto corporativos de maneira independente e segura. Com o BES 12, a empresa deverá focar na preocupação crescente de empresas com o avanço de tendências como o BYOD (Bring Your Own Device) e o CYOD (Choose Your Own Device).

BlackBerry

Painel de controle de dispositivos conectados ao BES 12 (foto: Reprodução)

"As tendências que estamos vendo são de transformação do core para a mobilidade, trabalhadores móveis, hiperconectividade", afirmou o diretor global de gerenciamento de produtos da BlackBerry, Mark Amszej. "Isso abre oportunidades para melhorar a produtividade, mas também cria mais desafios de risco e gerenciamento".

Atualmente, a BlackBerry é líder de mercado no setor de gerenciamento de dispositivos móveis, com 14,4% de marketshare global, de acordo com a consultoria IDC. Apesar disso, a empresa vem sofrendo com a concorrência de outras plataformas, como a ascendente MobileIron. Para voltar a se destacar, o BES 12 traz funções e integrações que adereçam alguns dos problemas que afetavam a versões anteriores do software.

Agora, por exemplo, o BES 12 traz novas capacidades de integração multiplataforma, com suporte para dispositivos iOS, Android, Windows Phone e BlackBerry 10.

Além disso, a corporação também anunciou uma nova parceria estratégica com a Samsung para o gerenciamento de smartphones e tablets da sul-coreana com o Knox através do BES 12. De acordo com a BlackBerry, o acordo, que começará a valer a partir de 2015, permite que a sua plataforma acesse muito mais elementos dentro do Android da Samsung, garantindo a criação de mais políticas de segurança para dispositivos da empresa.

Para a empresa de Chen, a parceria garante o acesso ao gigante mercado de smartphones da Samsung - hoje a maior fabricante de dispositivos móveis do mundo em número de usuários. Questionados, os executivos da BlackBerry afirmaram que há interesse em fechar parcerias com outras companhias como Apple e Microsoft para garantir o mesmo suporte do BES 12 a outros dispositivos, mas não deram detalhes sobre possíveis acordos futuros.

Perfis separados para telefonia

Além do novo BES 12, a BlackBerry também anunciou o lançamento da nova solução de telefonia para separar linhas pessoais e corporativas de usuários BYOD em um mesmo aparelho, o WorkLife.

A solução é resultado de uma aquisição da empresa e funcionará como uma espécie de "cartão SIM virtual", permitindo que o usuário faça ligações e use pacote de dados separadamente dentro de um perfil corporativo e um perfil pessoal sem ter que mudar o chip do smartphone ou tablet.

Com a solução, o consumo de dados e voz será separado na operadora de acordo com o perfil escolhido, resultando em duas contas de telefone diferentes - uma encaminhada direto para o usuário e outra para a empresa.

O funcionamento do WorkLife depende do fechamento de novas parcerias com operadoras, que poderão formatar o serviço de acordo com suas próprias políticas - o que já está acontecendo no mercado brasileiro. "Estamos conversando com todas as operadoras", disse o diretor de vendas corporativas da empresa para a América Latina Sul, Erlei Guimarães. "A ideia é que a partir de março isso já esteja liberado no Brasil".

Controle de Identidade e Comunicações Unificadas

Por fim, a empresa também anunciou dois outros serviços voltados para a área de entreprise dentro das verticais de Controle de Identidade e Acesso e de Colaboração e Comunicações Unificadas.

O primeiro é o Enterprise Identity, que permitirá às empresas uma maneira simplificada de gerenciar o acesso de múltiplos usuários a serviços da nuvem com um único ponto de autenticação, controle e auditoria.

Já o BBM Meetings focará na comunicação segura para corporações e utilizará perfis de usuários da plataforma BBM para criar conferências em vídeo com até 25 participantes simultâneos. O sistema é multiplataforma e permite criar conversas com usuários BlackBerry 10, Android ou com desktops Windows e Mac.

Ambos os produtos estarão disponíveis a partir de 2015.

BlackBerry

Demonstração da nova plataforma de comunicação BBM Meetings (foto: Reprodução)

Mas e os smartphones?

Com tantos anúncios corporativos, o quarto pilar da atual estratégia de reorganização da BlackBerry, o setor de smartphones, ficou quase de fora da apresentação da empresa.

Ao Canaltech, o diretor de vendas corporativas da companhia, Erlei Guimarães, falou que o setor continua sendo uma das áreas estratégicas da empresa e não deverá ser "esquecido" frente ao avanço das ofertas de softwares e serviços corporativos.

"O hardware continua. Hoje a BlackBerry tem quatro unidades de negócios independentes e que deverão ser autossustentáveis: o QNX, BBM, software enterprise e smartphones. Essa unidade vai continuar existindo não para continuar disputando o segmento consumidor e maketshare, mas com foco no mercado corporativo", explicou.

De acordo com o executivo, a estratégia é continuar a atender mercados com demandas específicas de produtividade e segurança, principalmente em setores como o financeiro e governo.

Por aqui, a expectativa é que os dispositivos mais recentes da empresa, o Z3 e o Passport, cheguem no primeiro trimestre de 2015, a partir de março. "A gente trabalha de duas formas: uma é direto com os clientes corporativos, apresentando e fomentando essa demanda, e outra com as operadoras", afirmou Guimarães. "Isso já começou a acontecer com o Passport".

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.