Cinco apps representam quase 80% do consumo de dados no Brasil

Por Redação | 27.02.2015 às 12:32
photo_camera Divulgação

Um estudo da Ericsson revelou o que muita gente já deveria imaginar, mas não possuía quantificado em números. No Brasil, 78% de todo o consumo de dados feito por smartphones está concentrado em apenas cinco apps. A mesma dinâmica se reflete em outros países do mundo, onde os mesmos nomes correspondem a cerca de um terço de todo o tráfego de informações global.

O grande campeão, por aqui, é o Facebook, com 28% de market share. Depois vem o Google Chrome, com 16% – e a ideia de que ele pode ser usado para acesso também a outros serviços da lista, o que poderia aumentar ainda mais a fatia de cada um. Na sequência estão YouTube (15%), WhatsApp (13%) e Instagram, também de Mark Zuckerberg, com 6%.

A lista praticamente se repete ao redor do mundo, com poucas mudanças. Nos Estados Unidos, por exemplo, o Facebook também ficou em primeiro, mas em segundo e terceiro lugares, respectivamente, estão a Netflix e o YouTube, mostrando uma demanda cada vez mais crescente por conteúdo de entretenimento por streaming também no mundo mobile.

Essa dinâmica também se repete na Coreia do Sul, onde a busca por conteúdo também foi bastante acentuada. Abaixo da rede social, que conquistou a coroa em todos os territórios analisados pela Ericsson, estão o AfreecaTV, um portal móvel de conteúdo colaborativo, e o NAVER, uma ferramenta local de buscas.

Com o aumento na preferência por serviços de streaming, cresce também o consumo de dados. De acordo com as previsões da companhia, que revelou os resultados em um comunicado à imprensa, o total de tráfego móvel de vídeo ao longo dos próximos seis anos será 17 vezes maior que o registrado entre 2009 e 2015. Celulares com telas maiores, conexões Wi-Fi disponíveis em todo lugar e redes de celular com mais velocidade propiciam, e muito, esse crescimento.

Falando nisso, a Ericsson aponta para o fato de que, nos últimos três meses de 2014, as assinaturas da rede LTE alcançaram o maior fluxo de novos usuários de sua história. No período, 110 milhões de pessoas passaram a utilizar o 4G em todo o mundo, e com essa maior velocidade, claro, cresce também o consumo de dados.

Na mesma medida, cai a audiência das TVs tradicionais, já que cada vez mais as pessoas estão preferindo o conteúdo sob demanda em vez das transmissões ao vivo. Esse deve ser, inclusive, um dos assuntos abordados pela Ericsson durante o Mobile World Congress, que começa na próxima semana e é reconhecido como um dos principais eventos do mercado mobile. A feira acontece em Barcelona, na Espanha, e o Canaltech estará lá para conferir.