CEO da BlackBerry dá dicas de como as fabricantes podem sobreviver

Por Redação | 11.11.2014 às 13:35

O lado da moeda se inverteu durante a edição 2015 do Asia-Pacific Economic Cooperation CEO Summit, um encontro anual de diretores de grandes empresas asiáticas que é realizado em Pequim, na China. Descartando os rumores de uma possível aquisição, John Chen, presidente da BlackBerry, deu uma aula de sobrevivência no mercado da região, contando com a presença de diretores de concorrentes como HTC, Lenovo e Xiaomi.

Como o tema é cooperação, é justamente isso que motivou o encontro. Durante a reunião, o executivo falou sobre a situação nada amistosa da BlackBerry nos últimos anos e como conseguiu retomar os rumos da companhia, que para muita gente esteve bem próxima de fechar e, agora, está conquistando novos clientes e lançando aparelhos que vêm agradando ao público já acostumado com suas soluções.

Como relata o site Ubergizmo, Chen afirmou que a principal maneira de fincar o pé no mercado asiático e garantir a permanência por lá é encontrar bons parceiros, tanto no campo da fabricação quanto no de vendas. Inclusive, foi essa uma das razões para a aparição do CEO durante o evento, já que não se trata apenas de ensinar, mas também de seguir em frente no território que cada vez mais ganha importância no mundo mobile, na mesma medida em que cresce também em competitividade.

Uma possível venda, pelo contrário, não é vista como um bom caminho. Para o CEO da BlackBerry, a solução independente ainda é o melhor para a companhia. Por isso mesmo, a conversa com seus companheiros do mundo da tecnologia móvel nada teve a ver com aquisições, mas sim para discutir estratégias para seguir em frente, com uma troca de ideias entre os diretores presentes e a criação de um panorama sobre o futuro desse mercado.

Não se sabe ao certo quais parcerias surgiram como fruto do encontro, se é que alguma realmente aconteceu. Mas a colocação da BlackBerry em uma posição de destaque desta maneira mostra, no mínimo, que os tempos de tormenta já passaram para a fabricante de smartphones executivos. Além disso, agora ela é vista como um bom exemplo de recuperação, por mais que ainda não esteja em uma situação completamente favorável.