BlackBerry pode lançar relógios e óculos inteligentes

Por Redação | 12.09.2014 às 17:25
photo_camera Divulgação

Os relógios inteligentes são a mais nova moda do momento. Samsung, Sony, Motorola, LG e agora a Apple já têm um pé no segmento e disputam a maior fatia do bolo. Agora, segundo o portal Digital Trends, quem está se movimentando para entrar na festa é a BlackBerry.

A possibilidade foi comentada pelo gerente corporativo da companhia canadense, John Sims, durante uma entrevista na conferência Super Mobility em Las Vegas, nos Estados Unidos. "Estamos fazendo um levantamento interno e pesquisando vários dispositivos vestíveis", disse o executivo. Depois dessa declaração, Sims aparentemente deu com a língua nos dentes e revelou que a BlackBerry não só está pesquisando o desenvolvimento de um smartwatch próprio, mas também de óculos digitais.

Essa não é a primeira vez que um executivo de alto escalão da fabricante de smartphones corporativos acena para a possibilidade de criar soluções vestíveis. Em maio deste ano, o presidente executivo da BlackBerry, John Chen, disse estar considerando a entrada da empresa no ramo dos wearables. À época, o empresário comentou que as chances eram remotas - o que parece ter mudado agora

Especialistas indicam que até 2018 o segmento de dispositivos vestíveis renderá mais de US$ 8 bilhões à indústria. Aparentemente, esse é o motivo que levou a BlackBerry a mudar de ideia sobre o assunto.

Outro motivo que estaria encorajando a empresa canadense a fazer tal movimento é justamente seu público-alvo. Diferente dos usuários comuns que miram o Google, Samsung e Apple, o alvo da BlackBerry são pessoas que ocupam cargos executivos em empresas e, por esse motivo, a companhia poderia se destacar no ramo com soluções focadas em troca de mensagens seguras e coisas do tipo.

O PlayBook foi a última tentativa da BlackBerry explorar novos segmentos do mercado e quase levou a empresa à falência. Em 3 anos de existência, dispositivo vendeu pouco menos de 2,5 milhões de unidades.

O PlayBook foi a última tentativa da BlackBerry explorar novos segmentos do mercado e quase levou a empresa à falência. Em 3 anos de existência, dispositivo vendeu pouco menos de 2,5 milhões de unidades (Imagem: Reprodução)

Até que a decisão seja tomada, no entanto, pode-se esperar por um período de análise e estudo de mercado acima do normal. Da última vez que a BlackBerry tentou explorar um outro segmento que não o dos smartphones, sua atuação foi desastrosa e praticamente custou a reputação da empresa. Portanto, não seria estranho se a companhia se juntasse a outras empresas que já atuam no setor, mesmo com certo atraso.