Baixa adoção do BlackBerry 10 causa queda de 64% no faturamento da empresa

Por Redação | 28 de Março de 2014 às 15h33

A BlackBerry continua lutando para permanecer relevante no mercado e melhorar seus números de utilização, em meio a uma enxurrada de notícias negativas e queda no total de usuários. No último trimestre do ano fiscal de 2014, encerrado em fevereiro, a empresa registrou queda de 64% no faturamento, com US$ 976 milhões em todo o mundo.

O número representa perdas de US$ 423 milhões para o período, um total que contrasta com o lucro modesto, mas positivo, de US$ 98 milhões entre os meses de dezembro de 2012 e fevereiro de 2013. De acordo com a empresa, a baixa adoção do sistema operacional BlackBerry 10 foi um dos principais responsáveis por tais resultados.

A empresa explica: dos 3,4 milhões de aparelhos da marca vendidos em todo o mundo, apenas 1,1 milhão utilizam a versão mais recente da plataforma. São os celulares de topo de linha, que não têm feito muito sucesso diante de rivais de peso como Apple e Samsung, enquanto os smartphones de médio e baixo custo, com BlackBerry 7, ainda se mostram populares nos mercados emergentes.

Os resultados negativos tomam características ainda mais negras quando comparados com a opinião de acionistas e analistas de mercado. Segundo a Thomson Reuters, citada pelo site CNET, a expectativa era de um faturamento de US$ 1,1 bilhão, com uma perda de US$ 0,55 por ação. O que se viu, porém, foram os papeis da companhia perdendo US$ 0,80 de seu valor e um faturamento menor do que este.

Ainda assim, o CEO John Chen acredita na recuperação da empresa. Os resultados negativos já eram esperados enquanto a BlackBerry passa por um processo de reestruturação interna, voltado a melhor trabalhar suas soluções junto ao público e entregar produtos melhores para as fatias de mercado corporativas, que parecem a cada dia mais atraídas pelas soluções da Apple.

A previsão de Chen é que o fluxo da empresa volte a um patamar positivo até o fim do atual ano fiscal, que termina em março de 2015. No ano seguinte, a ideia é que a BlackBerry volte a ser rentável. O executivo apontou para os números de custos operacionais, que estão mais baixos do que o esperado pela empresa e devem cair ainda mais com o passar do tempo.

Agora, a prioridade da empresa é manter os 85 milhões de usuários do BlackBerry Messenger e atrair mais pessoas para a plataforma, que deve ganhar um sistema de anúncios logo mais. Além disso, há grande atenção no lançamento de dois novos aparelhos, o mais barato Z3 e o Q20, voltado especificamente para o mercado corporativo e apelidado por Chen de “BlackBerry Clássico”, por trazer o teclado físico do qual tantas pessoas têm saudade.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!