Apple perde espaço no mercado de smartphones e Nokia cresce mais que o dobro

Por Redação | 08.01.2014 às 15:10

A concorrência anda mordendo um pedaço da Maçã, é o que afirma um relatório apresentado pela Kantar Worldpanel. Mesmo com o lançamento dos novos modelos do iPhone, o 5S e o 5C, e o seu número de vendas continuar subindo, a Apple experimentou uma nova queda na sua participação de mercado em relação ao mesmo período de 2013.

O motivo, segundo Dominic Sunnebo, diretor global de introspecção estratégica da empresa, é a crescente concorrência de rivais como LG e Nokia. "Os iPhones 5S e 5C foram os dois smartphones que mais venderam nos Estados Unidos no período de setembro e novembro de 2013. Entetanto, a rivalidade crescente com marcas que usam Android e o ressurgimento da LG e da Nokia fizeram com que a participaçao de mercado da Apple diminuísse", declarou o especialista.

Segundo relatório, a Apple domina a preferência de cerca de 69% dos usuários de smartphones no mercado japonês, 43% no mercado estadunidense, 35% na Austrália e 30% na Grã Bretanha. Embora sejam positivos, os números exigem uma interpretação cuidadosa. Isso porque eles correspondem, em sua maioria, a apenas usuários da Apple que já são consumidores da companhia há algum tempo.

A conclusão preocupa e mostra que a Apple pode não estar conseguindo conquistar novos consumidores, que estão dando preferência às concorrentes LG, Sony e Nokia, que apresentaram crescimento significativo em relação ao ano passado. Para se ter uma ideia, um levantamento feito em novembro de 2013 pela operadora T-Mobile, nos Estados Unidos, mostrou que 55% dos usuários que compraram seu primeiro smartphone optaram por dispositivos LG ou Nokia. Em contrapartida, apenas 39% preferiram um smartphone da Apple.

Dentre todas as empresas que fabricam smartphones, a Nokia foi a que apresentou o resultado mais surpreendente de todos. A companhia filandesa mais que dobrou a sua participação no mercado, atingindo, pela primeira vez, a marca de dois dígitos com 10% e colocando o Windows Phone na terceira colocação na lista de sistemas operacionais móveis mais utilizados na Europa.

Se quiser abocanhar uma fatia ainda maior do mercado, a Nokia terá que começar a mirar pelo menos um dos maiores mercados do mundo: Estados Unidos e China. "Não há necessidade de conquistar os Estados Unidos e a China para vencer no mercado de smartphones, mas é necessário ser bem sucedido em pelo menos um deles", ressalta Sunnebo. Para ele, será mais inteligente se a empresa optar pelo mercado chinês, onde os consumidores criam fortes laços com uma marca quando ela é capaz de conquistá-los. Para isso, basta apenas a Nokia acertar no preço dos aparelhos.