Após anos, HP deve anunciar seu novo smartphone na próxima semana

Por Redação | 15.01.2014 às 14:50

Os rumores que há algum tempo circulam na internet e indicam que a Hewlett-Packard (HP) está prestes a retornar ao mercado de dispositivos móveis estão prestes a se confirmar – é o que diz o Digitimes. Em conversa com o site 9to5 Google, uma fonte interna da empresa disse que o lançamento do próximo dispositivo móvel da companhia deverá ser anunciado até a próxima semana.

Segundo informações do PhoneArena, a companhia tem investido recursos em desenvolver um dispositivo cujo público-alvo será o mercado emergente. Com tela capacitiva sensível ao toque de até 5,7 polegadas, o dispositivo contará com um processador Intel e não deverá custar mais que US$ 250.

Ao que tudo indica, a companhia não se importou com o design do produto e ele deverá ser semelhante aos smartphones mais baratos que chegam da China, tendo a logomarca da HP como o único diferencial. Especialistas em software dizem que o mais provável é que o dispositivo venha com uma versão simplificada do Android.

A estratégia é semelhante à que a Lenovo adotou para entrar no mercado de smartphones. A chinesa, que é líder em venda de computadores no Brasil, apostou em designs extremamente simples para seus dispositivos móveis e foi muito criticada. Independente das críticas, a companhia foi capaz de despachar mais de 50 milhões de smartphones somente no último ano e há alguns dias anunciou sua nova linha de smartphones, cujo foco, aparentemente, é a melhoria do visual dos aparelhos.

Independente de qualquer coisa, o objetivo da HP é bastante claro: derrubar os preços e vender muitos dispositivos para criar uma boa base de consumidores e, posteriormente, poder oferecer-lhes dispositivos com melhorias incrementais. Até lá, a ordem é fortalecer o relacionamento com fornecedores na China para garantir o melhor preço e competir diretamente com rivais asiáticos como Lenovo, Acer e Asus.

Não é exatamente um retorno triunfante para a HP, mas mesmo assim é um retorno. Diante do declínio do mercado de computadores, essa é a única alternativa para a norte-americana voltar a atrair o público e ser competitiva novamente.

Leia também: Tablets devem roubar metade do mercado de PCs em 2014