Analista prevê BlackBerry no vermelho por pelo menos mais dois anos

Por Redação | 31 de Março de 2014 às 15h45

Na última sexta-feira (28), o CEO da BlackBerry, John Chen, apresentou os já esperados resultados negativos relacionados ao último trimestre do ano fiscal 2014, encerrado em fevereiro. Mesmo com perdas de US$ 423 milhões, a diretoria da companhia se mostrou confiante e disse acreditar que o patamar positivo voltará a ser alcançado em um ano. Essa perspectiva, no entanto, não é compartilhada por consultorias e especialistas de mercado.

Michael Walkley, da Canaccord Genuity, emitiu comunicado nesta segunda-feira (31) preparando os investidores para resultados negativos que devem durar, pelo menos, pelos próximos dois anos. Para ele, os cortes de gastos e funcionários realizados pela BlackBerry realmente estão tendo seus resultados, mas que a saída do vermelho deve demorar bem mais que o esperado pela companhia. As informações foram publicadas pelo CNET.

Para Walkley, a coisa começará a melhorar apenas em novembro, quando a BlackBerry lançará um pacote de serviços empresariais que é um de seus grandes focos na atual reestruturação. Em conjunto com os esforços para fortalecer o BlackBerry Messenger, o pacote deve começar a reverter os números, mas o fim dos prejuízos ainda deve se estender muito além do atual ano fiscal, que se encerra em fevereiro de 2015.

O especialista, apesar de ver como positiva toda a manutenção corporativa pela qual a empresa está passando, acredita que será preciso muito mais do que isso. O corte de gastos, principalmente, precisa ser ainda mais profundo para compensar a perda de clientes e o baixo interesse do público pelas plataformas da BlackBerry.

Além disso, Walkley se mostrou pouco confiante em relação ao recente acordo entre a empresa e a Foxconn, que tem como objetivo aumentar a disponibilidade de aparelhos no mercado e torná-los mais baratos. Mesmo com o sucesso dessas empreitadas, o especialista ainda vê como extremamente difícil a competição da canadense com empresas como Apple e Samsung, que se aproximam cada vez mais do segmento corporativo e, claro, roubam clientes e margens da BlackBerry.

Na semana passada Chen demonstrou preocupação com a baixa adoção do BlackBerry 10, a versão mais recente do sistema operacional da empresa, e categorizou isso como o principal motivo para a queda nos números do último trimestre. O faturamento teve baixa de 64% no período e a expectativa é de novas perdas no próximo relatório.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.