Warner está multando quem pirateia episódios de Friends

Por Redação | 08.06.2015 às 11:14

Já se vão mais de dez anos desde o final de “Friends”, uma das séries de comédia mais populares de todos os tempos, e ela ainda é uma das propriedades intelectuais mais importantes para a Warner Bros. Tanto que, nas últimas semanas, vários internautas dos Estados Unidos foram multados por baixarem ou disponibilizarem episódios do show para download em sites de torrent.

Em um trabalho conjunto com operadoras de telefonia e internet do país, o estúdio enviou notificações para um número desconhecido de clientes, cobrando US$ 20 – cerca de R$ 60 – de cada um como um valor simbólico pelos danos causados à sua propriedade intelectual. E avisa: o não-pagamento pode resultar em processos na justiça e na suspensão dos serviços de acesso à internet.

Além disso, a multa acompanha um pequeno agradecimento pelo usuário ser fã de “Friends”. Por outro lado, afirma que o compartilhamento ilegal de episódios do seriado é uma ofensa séria e que causa danos muito maiores à Warner do que os US$ 20 cobrados como multa. A notificação é enviada por uma empresa chamada Rightscorp, que trabalha ao lado do estúdio na proteção de seus direitos autorais.

A ideia, porém, é que a distribuidora está sendo “boazinha” ao cobrar apenas esse valor, poupando o acusado de sofrer as sanções legais que seriam atribuídas a ele caso tudo fosse parar na justiça. O estúdio usa a palavra “acordo” para se referir ao valor, indicando se tratar mesmo de uma combinação fora dos tribunais e que precede ações legais.

Acredita-se que a questão esteja relacionada ao relançamento de caixas com as dez temporadas da série, que estão retornando às prateleiras de varejistas selecionados de todo o mundo, inclusive no Brasil. Por aqui, por exemplo, cada box custa cerca de R$ 40 e traz uma temporada completa, enquanto o pacote com toda a série sai por valores próximos a R$ 200.

Por outro lado, as notificações enviadas pela Warner se relacionam a episódios específicos e mais de uma poderia ter sido recebida pelos acusados, multiplicando em algumas vezes o valor das multas. Toda a transação é realizada por uma página criada pela própria produtora para esse fim, também responsável por emitir a documentação que comprova o pagamento e a aceitação do acordo.

Não é a primeira vez que o estúdio se une a Rightscorp para uma ação desse tipo. Em abril, as companhias foram alvo de uma ação de classe de um grupo de usuários de internet que teriam recebido notificações e multas semelhantes, que viriam acompanhadas de telefonemas agressivos e falta de provas que realmente confirmem que o acusado foi responsável por baixar e disponibilizar tais arquivos.

Fonte: Torrent Freak