Star Trek Discovery: série da Netflix terá protagonista mulher e personagem gay

Por Redação | 12 de Agosto de 2016 às 08h52
photo_camera Divulgação

O produtor executivo Bryan Fuller revelou nesta quarta-feira (10) mais informações sobre Star Trek: Discovery, nova série de Jornada na Estrelas que será lançada pelo canal CBS All Access e também na Netflix. Entre as novidades está a confirmação de que a protagonista da trama será uma mulher.

De acordo com Fuller, que participou do painel do seriado na apresentação das emissoras para a Associação de Críticos Televisivos dos Estados Unidos, a personagem não será capitã, mas sim tenente-comandante da nave Discovery, que dá nome à atração. Ainda não foi anunciada a atriz que viverá a tenente, mas sabe-se que a maioria dos testes feitos pela CBS são com mulheres negras.

Esta será a segunda vez que o programa vai estrear com um papel principal feminino - o primeiro foi há 21 anos, em Star Trek: Voyage, que foi ao ar entre 1995 e 2001 e teve Kate Mulgrew na pele de Kathryn Janeway, capitã da nave USS Voyager.

Fuller também confirmou que Star Trek: Discovery terá um personagem assumidamente gay. Para ele, a inclusão da comunidade LGBT nas produções americanas foi "impulsionada de forma drástica" nos últimos anos, ainda mais agora que os EUA já permitem a união de pessoas do mesmo sexo. "Acredito que percorremos um longo caminho até aqui; os direitos dos homossexuais demoraram muito mais tempo [para serem reconhecidos] que as questões raciais e os direitos das mulheres", disse.

Além disso, o produtor destacou que Star Trek continuará com um grande foco na diversidade do elenco, pois isto é uma tradição na série. Vale lembrar que no novo filme da franquia, Star Strek: Sem Fronteiras, que estreia no Brasil em 1º de setembro, o personagem Hiraku Sulu (John Cho) é abertamente gay e casado.

Mais detalhes

Bryan Fuller também anunciou mais informações sobre o que esperar da trama de Star Trek: Discovery. A história se passará 10 anos antes da série original (ou seja, antes do Capitão Kirk e sua equipe) e vai preencher algumas lacunas entre as histórias do programa original e de Star Trek: Enterprise. Fuller disse que a atração poderá apresentar versões jovens de Kirk e Spock, mas que isso não deve acontecer na primeira temporada.

Diferente das temporadas anteriores, Discovery não terá episódios com "casos da semana", em que cada capítulo conta uma história distinta. A ideia é apresentar uma trama mais amarrada, com um arco mais longo, e o centro de ligação do primeiro ano da série será um incidente na Frota Estelar que, apesar de já ser mencionado na série de 1966-1969, nunca foi explorado a fundo. Também foram confirmadas novas espécies de alienígenas e robôs.

Star Trek: Discovery começará a ser filmada em Toronto, no Canadá, em setembro. O capítulo de abertura será dirigido por David Semel (Dr. House, Barrados no Baile) e, ao todo, serão 13 episódios na primeira temporada. A estreia está agendada para janeiro de 2017.

Fonte: Variety

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.