Netflix quer metade de seu catálogo com conteúdo próprio nos próximos anos

Por Redação | 21.09.2016 às 07:33

A Netflix revelou em entrevista à Variety nesta semana que pretende investir ainda mais em produções originais. A ideia da empresa é que, nos próximos anos, metade de seu catálogo seja formado por conteúdo próprio e a outra metade por programas de TV e filmes licenciados.

O investimento em conteúdo próprio deve aumentar de US$ 5 bilhões, gastos em 2016, para US$ 6 bilhões, no ano que vem. Ainda em 2016, a Netflix espera lançar 600 horas de produções próprias, acima das 450 horas lançadas em 2015.

Segundo David Wells, diretor financeiro da empresa, a empresa percorreu um terço da metade do caminho necessário para atingir seu objetivo, mas não informou até quando pretende ter 50% do catálogo preenchido por produções originais. “O objetivo da Netflix é liberar conteúdo que agrade a cada assinante, a cada mês, e neste sentido, temos um caminho a percorrer em diferentes gêneros e formatos”, comentou Wells.

Internacionalmente, a Netflix espera que 80% de suas produções venham de Hollywood e 20% sejam produzidas localmente, com o idioma respectivo. A única exceção é o Japão, onde a tendência indica 50% de conteúdo local, ainda de acordo com Wells.

Nos Estados Unidos, a Netflix está em processo para que todos os assinantes norte-americanos migrem para seu plano mensal de US$ 9,99. Essa mudança, que aumenta a mensalidade em US$ 2 para alguns assinantes antigos, levou a taxas de cancelamento do serviço acima do previsto. Wells ressaltou que a Netflix está elevando os preços para gerar mais receita, e consequentemente investir em conteúdo adicional para atrair e reter assinantes. “Dos clientes que cancelaram a Netflix, entre 33% e 50%, eventualmente, devem voltar ao serviço’’, acredita ele.

Fonte: Variety