A Netflix e seu império digital

Por Redação | 05 de Maio de 2014 às 14h12

Você provavelmente já conhece a Netflix. Mas caso não se lembre ou não saiba do que se trata, fique sabendo que é um serviço no qual o assinante tem acesso a um invejável catálogo de filmes, séries e animações para assistir onde e quando quiser. Tudo isso pagando uma taxa mensal de R$ 16,90 ($ 7,99 nos EUA).

A Netflix conta ainda com produções originais como séries e filmes exclusivos do serviço. Como se já não bastasse, também possui apps para dispositivos móveis, aumentando ainda mais o alcance de seus usuários, que podem assistir ao que quiserem em qualquer lugar e a qualquer momento. Ao assinar o serviço, o usuário recebe um mês gratuito, sem nenhuma limitação para assistir ao conteúdo que mais desejar. Posteriormente, deve ser paga a taxa mensal de R$16,90.

Se você ainda não assinou e se interessou pelo serviço, decida o quanto antes, pois em breve os novos assinantes terão um aumento de 1 a 2 dólares na mensalidade, dependendo do território em que residirem. Aqui no Brasil esse aumento já foi confirmado, mas ainda não foram divulgados os preços oficiais. Para quem já é assinante, não há com o que se preocupar: sua taxa será mantida sem acréscimos.

A máquina de fazer dinheiro

A empresa divulgou o balanço do primeiro trimestre de 2014 no fim de abril, apontando uma base total de 48,35 milhões de assinantes, sendo 46,14 milhões pagos. O serviço passou a barreira de US$ 1 bilhão de faturamento em um trimestre, fechando o período com US$ 1,066 bilhão.

Para se ter ideia da expansão da Netflix, somente a base americana do serviço já banca os custos da expansão do serviço para outros países. Só nos EUA, a Netflix possui 35,67 milhões de assinantes e um faturamento de $799 milhões no trimestre e outros 12 milhões em outros países. Apenas nesse trimestre foram 2,25 milhões de novos clientes nos EUA e 1,75 milhão no mercado internacional.

Apesar disso, a operação internacional tem trazido certo prejuízo, que segundo Reed Hastings, CEO da Netflix, começará a se tornar mais lucrativa ainda neste ano. Vale lembrar que o prejuízo no trimestre há um ano era de US$ 77 milhões, contra apenas US$ 35 milhões nesse primeiro trimestre.

Os originais


Vale destacar as produções originais do Netflix, como a série Um Drinque no Inferno (From Dusk til' Dawn) baseada no filme homônimo de Quentin Tarantino, além de House of Cards, Hemlock Grove e Orange Is the New Black, que foram renovadas para mais uma temporada, chegando à Netflix em 2014.

Além disso, pegando carona no estrondoso sucesso que o Marvel Studios vem fazendo com seus personagens no cinema, através de um acordo com a Marvel Television e a Disney, o serviço de streaming irá disponibilizar com exclusividade as séries Demolidor, Punho de Ferro, Luke Cage, Jessica Jones e a minissérie Os Defensores, que interligará as quatro séries anteriores.

Demolidor

Demolidor


Em fevereiro, o serviço anunciou a produção de uma série sobre o traficante Pablo Escobar, produzida pelos brasileiros José Padilha e Wagner Moura, na qual Wagner iria interpretar o famoso traficante. A série tem estreia prevista para 2014.

Wagner Moura

Wagner Moura

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.