Uma entre seis tentativas de fraude online no Brasil em 2015 será via celular

Por Redação | 09 de Junho de 2015 às 13h50
photo_camera Divulgação

Não é novidade que o celular está presente 24 horas por dia na vida de muita gente. De olho nessa tendência, os criminosos, em vez de se focarem nos PCs, têm desenvolvido inúmeras ameaças para esses dispositivos, e essa mudança de comportamento deve ser ainda mais acentuada no Brasil até o final deste ano, uma vez que o número de fraudes em smartphones deve aumentar.

Essa é a constatação do levantamento "Mobile 2015: tentativas de fraudes via celular no Brasil", da ClearSale, empresa especializada em soluções antifraude para transações comerciais de diversos segmentos do mercado.

O estudo aponta que um quarto dos varejistas online já utiliza aplicativos móveis como um dos seus canais de venda. Dentre eles, comparando todas as tentativas de fraude online, 18% terão como origem um aparelho móvel, aumento em relação a 2014, quando sua representação fechou com 7%. O faturamento deve acompanhar o crescimento: de 5% sobre todas as vendas online realizadas em 2014, o ano atual deve chegar aos 15%.

"Os índices de tentativas de fraude no segmento mobile podem ser explicados por alguns motivos, entre eles a falta de segurança dos aparelhos, roubo de celulares e o roubo de cartões de crédito, pois com os dados o fraudador consegue fazer a compra rapidamente pelo celular antes mesmo do dono bloquear seu cartão", diz Omar Jarouche, gerente de Inteligência Estatística ClearSale.

Além disso, segundo Omar, podemos somar também as fontes já conhecidas de fraude, como phishing e as quadrilhas especializadas.

Entre as regiões do país, o Sudeste deve fechar o ano com representação de 59% nas tentativas de fraude via celular, ao mesmo tempo em que as vendas somadas de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo podem chegar a 67% das transações feitas desta maneira. Em segundo lugar, o Nordeste chega ao final de 2015 com 24% de tentativas de fraude e 16% no faturamento. Completa a lista o Centro-Oeste (8% em transações indevidas e 6% na distribuição; Norte (5% e 3%); e Sul (4% e 8%).

"Quanto aos índices por região, a grande quantidade, tanto de compras quanto de tentativa de fraude no Sudeste, pode ser explicada por ter o maior número de smartphones com conexão a internet nessa região, enquanto o Nordeste acompanha os altos índices de tentativas de fraude que já ocorrem no ambiente online como um todo", afirma o executivo.

Embora os ataques a dispositivos móveis sejam cada vez mais comuns, muitos usuários ainda desconhecem esses tipos de ameaças. Recentemente, um relatório da Kaspersky Labs apontou que 28% dos donos de tablets e smartphoes conhecem pouco ou simplesmente não sabem da existência de malwares e outras pragas que podem colocar seus aparelhos em risco.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.